Rio e Baixada têm que poupar água

Carolina Monteiro, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - A Cedae realiza nesta terça-feira, a partir das 8 horas da manhã, uma vistoria preventiva na Estação de Tratamento de Água do Guandu, afetando o fornecimento em 85% da capital e 70% da Baixada Fluminense. Por isso, a companhia pede aos moradores dessas regiões que economizem água até a próxima quarta-feira, evitando atividades como lavar carros e calçadas, tomar banhos demorados, e regar jardins e quintais.

Quem tiver um sistema de cisterna ou caixa de água sequer vai sentir a paralisação garante Wagner Victer, presidente da Cedae. A operação foi planejada com antecedência para evitar problemas. Todas as medidas foram tomadas para que tudo seja feito o mais rápido possível.

A estimativa é de que o trabalho dure cerca de 24 horas. A normalização do abastecimento de água pode, entretanto, levar até 48 horas após a conclusão do serviço, especialmente em algumas áreas mais isoladas, como regiões mais altas e finais de linha de suprimento de água.

Para atender a hospitais durante o período de paralisação, a empresa montou um esquema especial com carros-pipa.

Para as pessoas que, ainda assim, preferirem guardar água, lembramos que, para evitar riscos neste período de dengue, devem utilizar recipientes fechados completa Victer.

Segundo a companhia, cerca de 300 funcionários participam da operação de manutenção dos reservatórios e canais de água filtrada da estação de tratamento e das adutoras e elevatórias que compõem o sistema do Guandu, responsável pelo fornecimento de água para 9 milhões de pessoas.