Poluição mancha ilha de Paquetá

Marcelo Fernandes, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Um dos lugares mais bonitos da Baía de Guanabara pede socorro. Moradores da Ilha de Paquetá reclamam que suas outrora elogiadas praias estão poluídas com o despejo de esgoto irregular diretamente no mar. Além disso, a população também reclama de vazamentos na rede coletora em várias ruas da região.

Na quinta-feira, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente divulgou seu boletim quinzenal com a qualidade de areia das praias cariocas, e classificou como não recomendadas , pela quantidade excessiva de coliformes fecais e da bactéria Escherichia coli, as areias das praias da Imbuca, José Bonifácio e da Moreninha, todas na ilha, que fica a 19 quilômetros do Rio.

De acordo com os habitantes, somente visitantes desavisados entram na água. Mesmo quem vive na ilha corre o risco de contrair doenças. A neta de 5 anos do publicitário Antônio Carlos entrou no mar durante uma visita ao avô e acabou contraindo uma micose.

Foi um erro dos pais dela, que já estavam avisados da situação reclama ele, que mora na ilha desde 1959. Mas tem muito mais gente contraindo doenças de pele. E, uns anos atrás, ainda fizeram um comercial para dizer que as praias estavam limpas.

Segundo outro morador, o securitário Paulo Bernardo, 47, são anos de promessas para a mudança das tubulações de esgoto da região, porém, as providências nunca foram tomadas.

Já falamos com o prefeito, com a Cedae, e as praias continuam impróprias. As tubulações daqui são muito antigas, e ocorrem diversos vazamentos. Existe um projeto para melhorar, mas estou muito cético em relação à realização lamenta. Em determinadas pontos da ilha, as tubulações são centenárias, causando muitos transtornos, e precisam urgentemente ser trocadas.

Operação na segunda-feira

Sobre o despejo de esgoto diretamente na Baía, a Cedae informou que são provenientes de galerias de águas pluviais, de responsabilidade da prefeitura, e os detritos se originam em ligações clandestinas.

Já a Secretaria Municipal de Conservação respondeu que, na próxima segunda-feira, equipes irão vistoriar as praias de Paquetá para verificar a possibilidade de ligações clandestinas na rede de galerias pluviais. A assessoria da pasta lembrou que o sistema de funcionamento da rede de esgoto é atribuição da Cedae, e o trabalho será feito numa parceria entre a Secretaria de Conservação e a empresa estadual.

Cedae investe R$ 20 milhões para resolver

A Cedae anunciou um investimento de cerca de R$ 20 milhões na rede de esgoto da Ilha de Paquetá. Entre as melhorias, está a instalação de 9,5 quilômetros de tubulação submarina na Baía de Guanabara, que levarão os detritos até uma estação de tratamento na cidade de São Gonçalo, na Região Metropolitana. Os canos são feitos de polietileno de alta densidade, com um diâmetro de 400 mm.

A licitação para a obra está marcada para o dia 21 do próximo mês, de acordo com a Secretaria Estadual de Obras.

Segundo o presidente da Cedae, Wagner Victer, o sistema resultante será moderno, pois a obra terá um projeto avançado de engenharia.

Faremos uma coisa prometida há décadas para a poulação de Paquetá. Fizemos um empréstimo com a Caixa Econômica e daremos uma solução definitiva aos habitantes da ilha afirmou.

Sobre reclamação dos moradores em relação à demora na execução da obra, ele observou que trata-se de um projeto de grande complexidade.

É um projeto ousado que iremos fazer em Paquetá, passamos dois anos preparando argumentou. Uma obra desse porte não é fácil de ser executada em pouco tempo.

Término em 2011

Sobre a balneabilidade das praias da ilha, Victer afirma que, muitas vezes, as chuvas levam sujeira à orla.

Não é só o esgoto da ilha que provoca isso. Mas a situação das praias da Baía de Guanabara melhorou muito depois da inauguração da estação de tratamento de Alegria, no Caju, que tira uma quantidade grande de esgoto no mar, e com a limpeza do Canal do Cunha lembrou o presidente da Cedae.

A previsão do término das obras em Paquetá é para o final de 2011. As melhorias também incluem a construção de uma nova elevatória na ilha.