Acusado de tráfico não sai

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O Supremo Tribunal Federal negou nesta quinta-feira, por 9 votos a 1, habeas corpus ajuizado pela defesa de Rodrigo Gomes Quintella, preso preventivamente desde fevereiro do ano passado, no Presídio Bangu I, por ordem do juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, sob acusação de tráfico internacional de drogas, com a agravante de ser fornecedor atacadista e varejista de entorpecentes.

O réu foi denunciado juntamente com 36 pessoas, em sua maioria de classe média alta, em conseqüência da Operação Nocaute, da Polícia Federal, que apreendeu grande quantidade de drogas. O voto vencido foi o do ministro Marco Aurélio.

A ministra Cármen Lúcia, relatora do processo, já tinha negado liminar pretendida pelo advogado do réu, em fevereiro último. Mas submeteu o caso também ao plenário, porque o advogado de Rodrigo Quintella questionava, em outro recurso, o uso de algemas quando da prisão preventiva de seu cliente. A reclamação contra o ato foi rejeitada por unanimidade.

Ao pronunciar seu voto contra o habeas corpus, Cármen Lúcia considerou os fundamentos que caracterizavam a gravidade dos crimes praticados e a periculosidade do paciente .