Sem Canecão, nove shows são cancelados

Marcelo Fernandes , Jornal do Brasil

RIO - Após retomar a posse do terreno onde se localiza a casa de shows Canecão, em Botafogo (Zona Sul), o reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Aloísio Teixeira, anunciou terça-feira em uma coletiva que os nove shows programados para os próximos dias estão cancelados sete deles já tinham ingressos vendidos.

O que estava acertado com os artistas é responsabilidade de outra empresa, que terá que ressarci-los. Mas não queremos finalizar as atividades culturais do lugar disse Aloísio Teixeira.

A decisão do processo de reintegração de posse foi tomada pelo juiz Fábio César Oliveira, da 3ª Vara Federal do Rio. Segundo o reitor da universidade, não existe chance de a empresa Canecão Espetáculos e Empreendimentos Teatrais entrar com recursos, pois a decisão foi tomada em última instância.

O Canecão, porém, divulgou nota afirmando que ainda vai tentar uma reversão da decisão judicial.

Faremos um convite público para que as comunidades artística e acadêmica pensem o Canecão da forma como o lugar foi concebido originalmente: um espaço dedicado às atividades acadêmicas explicou Teixeira, acrescentando que projetos culturais da universidade terão prioridade.

A reunião será marcada no prazo de 20 dias. Sobre os recursos para gerir o estabelecimento, Diniz explicou que irá buscar parcerias com os três níveis de governo.

O prefeito Eduardo Paes sugeriu à universidade que realize uma licitação para gerir o local, o que foi descartado pelo reitor, já que a responsabilidade de gestão é da própria instituição.

O Canecão, palco de apresentações de grandes nomes da Música Popular Brasileira, foi lacrado na noite de segunda-feira pela Polícia Federal.

Terça-feira, dezenas de funcionários foram impedidos de entrar no imóvel para pegar seu pertences pessoais. Mas a UFRJ informou que todos os objetos e equipamentos foram inventariados e serão devolvidos.

O empresário Mário Priolli, maior acionista do Canecão, informou por meio de sua assessoria de imprensa que não comentaria o caso. A casa também não informou como seria a devolução de ingressos comprados para os shows.

Artistas lamentam prejuízo e fechamento

O músico George Israel, que gravaria terça-feira no Canecão um DVD com músicas feitas em parceria Cazuza, disse ter sido surpreendido com a notícia do fechamento da casa de shows. Segundo ele, caso a apresentação não seja reagendada, o prejuízo será grande.

O Canecão nos ligou avisando do cancelamento, e só. Soube do fechamento através dos jornais, ninguém me avisou nada. Não tenho muitas informações sobre o que vai acontecer daqui para a frente. É uma pena, estavam todos empolgados com esse show, que seria único para a gravação do DVD lamentou.

Outra que foi pega de surpresa e que também tinha uma apresentação agendada foi a cantora Sandra de Sá, que iria comemorar 30 anos de carreira no próximo dia 28.

O cancelamento dos shows trará um prejuízo muito grande, não só aos artistas, mas a todos na equipe envolvidos. Vou chamar outros colegas para uma reunião com o reitor e ver se podemos realizar pelo menos o que já estava previsto em contrato. Mas simplesmente cancelar tudo é um grande desrespeito desabafou a cantora.

Isabella Taviani lembrou que o local já não tinha as melhores condições, mas sempre manteve seu charme.

Hoje, existem outras casas mais modernas na cidade, mas a tradição do Canecão é imbatível. Todo cantor sonha em cantar lá. Aquela casa foi uma escola para mim, me formei como cantora assistindo a grandes nomes de MPB.

A produção da Companhia de Teatro Melhores do Mundo informou que ainda está se inteirando do caso e, após uma reunião com os atores, irá decidir quais medidas tomar para evitar o prejuízo com o cancelamento de três apresentação.