Administrador de cemitério seria vítima de latrocínio

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - A polícia investiga a hipótese de latrocínio na morte do administrador do Cemitério do Caju, Paulo Rodrigues, de 82 anos, na segunda-feira pela manhã. Mesmo assim, o delegado da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, Gabriel Ferrando, adianta que nenhuma alternativa está descartada.

Vamos ouvir familiares, vizinhos e funcionários do condomínio onde ele morava, mas, em princípio, é mais provável que tenha ocorrido roubo seguido de morte comentou Ferrando.

Segundo o motorista de Paulo, Marivaldo Félix da Costa, um homem armado com um revólver 38 o rendeu quando chegou para buscar o administrador em casa, no Engenho de Dentro (Zona Norte).

Ainda de acordo com o relato de Marivaldo, o bandido o obrigou a dirigir pela região, até parar na Rua Souza Cruz, quando roubou relógios, joias e dinheiro de Paulo e disparou duas vezes contra a sua cabeça

Ele ficava o tempo todo ameaçando matar a gente, dizendo para não olharmos para trás. Tenho certeza de que o seu Paulo não olhou disse o motorista, que trabalhava há um ano para o administrador e negou que o ladrão conhecesse a vítima.

Enterro

Paulo Roberto trabalhava no Caju há 47 anos, O corpo dele foi enterrado na tarde de segunda-feira, no mesmo cemitério ao qual dedicou parte de sua vida profissional.