Rio: Vila do Pan conviveu dois anos com solo problemático

Flávio Dilascio, Jornal do Brasil

RIO - Não é só a Lagoa que vive as consequências do subsolo argiloso. Em vários pontos da cidade, observa-se o mesmo fenômeno, principalmente na Zona Oeste, na Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes, mais precisamente nas proximidades das lagoas da Tijuca, Jacarepaguá e Camorim. Um destes locais é onde está o condomínio Vila do Pan, que conviveu por dois anos com problemas crônicos de desnível de ruas, calçadas e jardins.

Quando construíram o condomínio, não escoraram algumas estruturas e era comum ver pisos se rebaixando. Nós proprietários que tivemos de arcar com estas despesas e os principais problemas só foram resolvidos no ano passado afirmou José Henrique de Barcelos Filho, proprietário de três apartamentos no condomínio.

O Vila do Pan começou a ser habitado em 2007, sendo usado como instalações dos atletas que vieram competir nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Antes das competições, porém, os apartamentos já eram vendidos e a entrega das chaves só ocorreu depois do Pan. Diversos proprietários acionam a construtora na justiça pelo não cumprimento de vários itens prometidos. A obra foi feita pela construtora Agenco, que não quis se manifestar sobre o caso.

As ruas cediam porque o terreno não era para este tipo de construção acusa o presidente da associação dos moradores do Vila do Pan, Rodrigo Carnut.

O consultor da Coppe-UFRJ, Márcio Almeida, dá sua versão.

Houve uma questão complicada ali, pois o tipo de adensamento que estavam fazendo tinha que esperar dois anos para começar a construir. A pressa pela entrega da obra, no entanto, não permitiu isso afirmou.

Outras áreas problemáticas

Além do Vila do Pan, outras áreas da chamada Baixada de Jacarepaguá também sofrem do mesmo problema. Há ainda o bairro de Manguinhos, na Zona Norte, que, foi todo construído sobre um grande aterro.

Estes solos são todos muito jovens e ainda estão em formação. Era preciso que fosse feito um preparo melhor destes terrenos para depois começarem a ocupa-lo afirma o ambientalista Mário Moscatelli. Em algumas destas áreas, como, por exemplo, o Rio das Pedras, vemos muitas Torres de Pisa por causa destes movimentos do solo.