Ministério lança campanha para recuperar turismo em Angra

Agência Brasil

ANGRA DOS REIS - O ministro do Turismo, Luiz Barretto, anunciou nesta sexta-feira, em Angra dos Reis, costa verde fluminense, investimentos de R$ 2 milhões em campanhas publicitárias para resgatar o turismo na região, que foi fortemente prejudicado após a tragédia na virada do ano - na qual mais de 50 pessoas morreram por causa dos deslizamentos de terra causados pelas chuvas. O encontro, promovido pela prefeitura de Angra e pela Fundação de Turismo de Angra dos Reis (Turisangra), contou com autoridades municipais e empresários do setor hoteleiro e de turismo em geral.

O ministro lembrou que apesar dos deslizamentos terem ocorrido em apenas duas praias das mais de 2 mil do município, a queda na taxa de ocupação nos hotéis e pousadas da região caiu para 30% nos primeiros três meses deste ano.

"Angra é um imenso destino de turismo brasileiro e o nosso esforço agora é de recuperação desta imagem. Poucas áreas foram atingidas, mas quando ocorrem tragédias como esta, há um receio por parte das pessoas em visitarem o local. E, claro, estamos investindo também em infraestrutura. O Ministério do Turismo está investindo mais de R$ 15 milhões para que Angra recupere o lugar que merece", disse.

Além do anúncio da campanha, foi assinado o edital de abertura da licitação da 1ª fase do projeto de Sinalização Turística e do termo de referência do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur).

A licitação para a primeira fase do projeto de Sinalização Turística está marcada para o dia 26 de maio. Na primeira fase, o projeto vai padronizar o mobiliário e criar sinalização de todo o Centro Histórico no valor de R$ 195 mil, a contrapartida do município será de um pouco mais de R$ 21 mil. Na 2ª fase, o projeto contemplará todo o município, com investimentos de R$ 975 mil do Ministério do Turismo e contrapartida de R$ 85 mil.

No Prodetur, os recursos são de R$ 18 milhões para saneamento ambiental, estabilização do sistema de energia elétrica e urbanização da Vila do Abraão, criação da Unidade de Conservação da Ilha Grande e reativação do Trem Turístico da Mata Atlântica. A prefeitura de Angra acredita que após a liberação dos recursos, prevista para julho, o trem esteja pronto para atuar no fim do ano. Os recursos e as obras do Prodetur serão administrados e tocados pelo governo do estado, por meio da Secretaria de Obras.

O presidente da TurisAngra, Marcus Venissius Barbosa, disse que os prejuízos causados pela queda no turismo dos meses de janeiro, fevereiro e março foram de cerca de R$ 97 milhões para o município. "Hoje, o turismo corresponde a cerca de 35% da economia de Angra, mas eu acredito que num curto espaço de tempo, esse número pode passar de 50%. Temos todo o potencial para isso", disse.

Dono de uma pousada em Angra, o empresário Dalton Duarte Ameiro criticou os veículos de comunicação que, segundo ele, exageraram sobre os impactos da chuva na região.

"Ficamos reduzidos a 20% do que temos geralmente neste período em termos de ocupação. Os hóspedes que tinham feito reserva conosco em fevereiro, quando já não havia nenhum problema de acesso à cidade, cancelaram as reservas, pois estavam apavorados com o que viam na televisão. Espero que esta campanha surta um bom efeito na credibilidade de Angra", disse.

O prefeito Tuca Jordão pediu ao ministro Luiz Barreto que converse com o presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, para que a empresa contribua na recuperação de estradas como a de Ponta Leste que é muito utilizada.

"Angra foi neste primeiro trimestre a cidade que mais exportou no Brasil: US$ 1,7 bilhão em petróleo. Acho que a Petrobras tem grande interesse nas melhorias de nossas estradas que são importantes para o logística da empresa", afirmou.

Barretto se comprometeu a conversar com o presidente da Petrobras.