JB 119 anos: gabinete militar propôs pressão a anunciantes nos anos 70

Jornal do Brasil

RIO - A posição de independência do Jornal do Brasil era extremamente mal vista por setores importantes dos governos militares. Isto ficou mais claro em 1977, quando o jornalista Elio Gaspari, na época redator principal do Informe JB, divulgou documento em que o general Hugo Abreu, chefe do Gabinete Militar do presidente Ernesto Geisel, delineava estratégia para sufocar o jornal. A atuação do Jornal do Brasil, sua ação contestadora e subversiva permanente está (sic) a exigir medidas repressivas do governo afirmava o militar.

Hugo Abreu enumerava, medidas como suspensão de toda a publicidade oficial, incluindo na restrição editais e outras publicações que, por força de lei, devem ser divulgados em jornais.

Não satisfeito, o general propunha ainda pressões contra empresas e organizações privadas no sentido de que deixassem de veicular anúncios no jornal, sob pena de suspensão de qualquer crédito oficial.

Abreu sugeria ainda devassa fiscal no jornal e investigação da conduta política de todos os integrantes de sua direção. E como melhor forma de censura preconizava a apreensão do jornal depois de impresso, para impor-lhe prejuízos financeiros.