Morro do Bumba será mapeado para avaliar risco de novos deslizamentos

Agência Brasil

RIO - O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) inicia nesta sexta-feira o mapeamento do Morro do Bumba, em Niterói, com a finalidade de coletar coordenadas geográficas do local e dimensionar a massa de lixo deslocada no deslizamento que soterrou dezenas de casas na noite de quarta-feira. No local, foram resgatados até agora os corpos de 17 pessoas.

Num trabalho preliminar, foi verificado que não existe risco de explosão em razão do deslizamento de terra no alto da encosta nesta quarta-feira, que deixou soterradas dezenas de residências. A explosão poderia ser causada pelo acúmulo de gás metano, pois o local era um um lixão que foi aterrado.

O trabalho será desenvolvido pela Coordenação de Contingências Ambientais, criada para identificar danos ambientais à vegetação das unidades de conservação da região metropolitana do Rio, além de áreas sujeitas a risco de deslizamentos e inundações.

A equipe do Inea inicia também hoje o levantamento dos estragos provocados pelo temporal dos últimos dias na comunidade Santa Maria, no Parque Estadual da Pedra Branca, em Jacarepaguá, na zona oeste da cidade. Em seguida, os técnicos irão percorrer o Parque da Serra da Tiririca e a Reserva Biológica e Arqueológica de Guaratiba. O mapeamento contará com 25 agentes distribuídos em seis equipes.