Secretária do Ambiente promete drenagem e fim da ocupação

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - A secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, disse nesta quinta-feira que entre 60 e 80 casas no entorno foram interditadas. Ela ressaltou que, após a remoção de todos os detritos, serão feitas obras de drenagem e replantio no terreno do Morro do Bumba e que a área será interditada para a construção de novas habitações.

A área é de risco e nunca poderia ter sido habitada. Ainda há barrancos e por isso ainda existe possibilidade de novos desabamentos alertou Marilene.

Após sobrevoar a área no início da tarde de quinta-feira, o governador do estado, Sérgio Cabral afirmou que o momento é de ação.

Fiquei impressionado. De fato é uma catástrofe humana e ambiental. É absolutamente inacreditável que as pessoas tenham passado por isso.

Quanto à liberação de R$ 200 milhões, anunciada nesta quinta-feira pelo governo federal (ver página A12), Cabral destacou que R$ 90 milhões serão destinados à cidade do Rio e R$ 110 milhões aos demais municípios, com prioridade para Niterói e São Gonçalo.

Os técnicos estimam que sejam necessárias duas semanas para remover todo o escombro, com equipes trabalhando dia e noite.

É um momento de muita solidariedade, dos abrigos estarem abertos para receber as pessoas, dos empresários fazerem doações apelou Cabral.

O prefeito de Niterói, José Roberto Silveira, chegou quase 15 horas após a tragédia. Ele decretou estado de calamidade pública na cidade. Pelo menos oito bombeiros sofreram ferimentos leves nas operações de busca.