Moradora do Morro do Bumba salva pai de 87 anos

JB Online

RIO - Com a mão machucada, após ter salvo seu pai de 87 anos e o neto de 10, a comerciante Gilsinete de Oliveira, de 45 anos ainda espera encontrar a irmã, duas sobrinhas e uma cunhada que estão desaparecidas nos escombros no morro do Bumba, em Niterói, Região Metropolitana do Rio.

"Meu pai falou que ia morrer na casa dele, só não morreu porque eu arrebentei a porta e tirei ele de lá. A gente não morava no lixão, a gente paga tudo direitinho", disse revoltada a sobrevivente que perdeu a mãe por causas naturais há 6 meses.

Seis mortos em Niterói

Seis pessoas, entre elas uma criança, morreram no deslizamento de terra que do Morro do Bumba. Dois mortos já confirmados eram funcionários de uma creche que funcionava no local. Outras 51 pessoas ficaram feridas. De acordo com a Defesa Civil, pelo menos 40 casas foram atingidas. Com esse desabamento o número de mortos no Estado chegou a 163 pessoas, de acordo com a Defesa Civil.

De acordo com as autoridades, cerca de 600 metros de terra foram deslocados. O secretário de saúde e Defesa Civil do estado, Sérgio Côrtes, comenta que a área era um lixão. "As casas foram construídas sobre o aterro. Dizem que havia uma loja de pizzas, uma igreja. É uma comunidade inteira .