Cachorro é o 1º a ser resgatado de casa onde estariam 5 pessoas

Luís Bulcão Pinheiro, Portal Terra

RIO - Um cachorro foi o primeiro a ser resgatado de uma casa onde viviam cinco pessoas, incluindo uma criança de dois anos. Taylor foi retirado dos escombros pelo Corpo de Bombeiros e causou comoção entre os moradores. O deslizamento ocorreu no Morro do Bumba, em Viçoso Jardim, na zona norte de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira. Os corpos de três mulheres foram retirados dos escombros, além aproximadamente 20 sobreviventes, segundo relatos de pessoas que vivem no local.

"Se acharam o cachorro com certeza o resto da família vai estar bem", disse uma mulher identificada apenas como Gisele, parente das pessoas que estão sob os escombros.

Ainda de acordo com a moradora, eles não suspeitavam que pudessem ocorrer os deslizamentos por isso não deixaram o local. "Minha tia tinha uma casa de dois andares em um terreno amplo, ela foi uma das primeiras a ser retirada com vida", disse.

De acordo com o Comandante geral da Polícia Militar, coronel Mario Sérgio Gomes, essa é uma das piores tragédias no Rio. "Não me recordo de uma tragédia tão grande aqui em Niterói, nem no Rio de Janeiro", disse.

Segundo o Corpo de Bombeiros não é possível confirmar o número de casas, que segundo relatos dos moradores varia entres 20 e 60 residências. "É certo que havia um grande número de casas, havia uma rua que dava acesso a outras casas, portanto, é de se imaginar que o número de resdência era realmente grande", disse o coronel.

Segundo relatos de moradores, oito crianças que estavam em uma creche foram resgatadas, mas ainda teriam outras no local. As vítimas estão sendo levadas para o Hospital Universitário Antônio Pedro e para o Azevedo Lima.

O local é conhecido como o antigo lixão e a ocupação é irregular. Por conta disso, há um forte cheiro de gás. Mais de cem pessoas, entre bombeiros e vizinhos estão ajudando nas buscas, cavando com esperança de encontrar mais alguém com vida. A situação é de desespero.

O local é de difícil acesso, de acordo com um integrante das equipes de emergência, há vítimas no alto no morro, mas os bombeiros ainda não conseguem chegar ao topo. O local está sendo isolado.

De acordo com o Secretário Estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, que está no local, esse teria sido o pior deslizamento desde o início da chuva, na tarde de segunda-feira. Ao menos cinco quartéis foram deslocados para o local. O Corpo de Bombeiros classifica a situação como crítica. As buscas devem continuar no decorrer da noite e madrugada.

De acordo com a dados oficiais, 79 pessoas já morreram na cidade, sem contar com as vítimas encontradas no Cubando.

O morro fica próximo à garagem da Viação Santo Antônio, no fim da Alameda São Boaventura. Foram acionados os bombeiros dos quartéis de Niterói, Itaboraí, Itaipu e São Gonçalo.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as buscas devem seguir enquanto não houver chuva. O solo úmido aumenta os riscos de novos desabamentos.

Previsão de chuva

Segundo a agência meteorológica Climatempo, pode haver chuva fraca no Estado do Rio de Janeiro, inclusive em Niterói. A umidade e a intensidade dos ventos, que chegam a 44 km/h, favorecem o surgimento de focos de chuva.

Estragos e mortes

A chuva que castigou o Rio de Janeiro entre os dias 5 e 6 de abril deixou pelo menos 145 mortos, mais de 135 feridos, alagou ruas, causou deslizamentos e destruição no Estado. O Serviço de Meteorologia do Rio registrou no período o maior índice pluviométrico da cidade desde que começou a medição, há mais de 40 anos: 288 mm.