Bombeiros resgatam terceiro corpo em deslizamento de Niterói

Portal Terra

RIO - O corpo de uma terceira mulher foi retirado do escombros no início da madrugada desta quinta-feira no deslizamento ocorrido no Morro do Bumba, em Viçoso Jardim, na zona norte de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro. No final da noite dessa quarta-feira, o corpo de duas mulheres tinham sido retirados dos escombros, além de um sobrevivente. O desabamento ocorreu no bairro de Cubando, por volta das 20h50.

O sub-comandante geral dos Bombeiros disse no início da madrugada dessa quinta-feira que as equipes estão "trabalhando com o pior cenário possível, mas obviamente não temos como fazer a estimativa nesse momento". Das pessoas resgatadas com vida, 23 estão feridas segundo informação dos Bombeiros. Por volta da 1h, começou a chover forte no local.

O novo deslizamento no Morro do Bumba, em Viçoso Jardim, na zona norte de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira, é um dos maiores já ocorridos, segundo o Comandante geral da Polícia Militar, coronel Mario Sérgio Gomes. "Não me recordo de uma tragédia tão grande aqui em Niterói, nem no Rio de Janeiro".

Segundo o Corpo de Bombeiros não é possível confirmar o número de casas, que segundo relatos dos moradores varia entres 20 e 60 residências. "É certo que havia um grande número de casas, havia uma rua que dava acesso a outras casas, portanto, é de se imaginar que o número de resdência era realmente grande", disse o coronel.

Segundo relatos de moradores, cerca de 20 pessoas foram retiradas com vida antes da chegada dos Bombeiros, além de oito crianças que estavam em uma creche no local. Ainda de acordo com os residentes, mais crianças estariam no local. As vítimas estão sendo levadas para o Hospital Universitário Antônio Pedro e para o Azevedo Lima.

O local é conhecido como o antigo lixão e a ocupação é irregular. Por conta disso, há um forte cheiro de gás. Mais de cem pessoas, entre bombeiros e vizinhos estão ajudando nas buscas, cavando com esperança de encontrar mais alguém com vida. A situação é de desespero.

O local é de difícil acesso, de acordo com um integrante das equipes de emergência, há vítimas no alto no morro, mas os bombeiros ainda não conseguem chegar ao topo. O local está sendo isolado.

De acordo com o Secretário Estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, que está no local, esse teria sido o pior deslizamento desde o início da chuva, na tarde de segunda-feira. Ao menos cinco quartéis foram deslocados para o local. O Corpo de Bombeiros classifica a situação como crítica. As buscas devem continuar no decorrer da noite e madrugada.

De acordo com a dados oficiais, 79 pessoas já morreram na cidade, sem contar com as duas últimas vítimas encontradas no Cubando.

O morro fica próximo à garagem da Viação Santo Antônio, no fim da Alameda São Boaventura. Foram acionados os bombeiros dos quartéis de Niterói, Itaboraí, Itaipu e São Gonçalo.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as buscas devem seguir enquanto não houver chuva. O solo úmido aumenta os riscos de novos desabamentos.

Previsão de chuva

Segundo a agência meteorológica Climatempo, pode haver chuva fraca no Estado do Rio de Janeiro, inclusive em Niterói. A umidade e a intensidade dos ventos, que chegam a 44 km/h, favorecem o surgimento de focos de chuva.

Estragos e mortes

A chuva que castigou o Rio de Janeiro entre os dias 5 e 6 de abril deixou pelo menos 145 mortos (sem contabilizar o acidente, mais de 135 feridos, alagou ruas, causou deslizamentos e destruição no Estado. O Serviço de Meteorologia do Rio registrou no período o maior índice pluviométrico da cidade desde que começou a medição, há mais de 40 anos: 288 mm.