Identificados 200 guardadores clandestinos na Zona Sul

Caio de Menezes , Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Para pôr fim ao crônico problema da extorsão praticada guardadores clandestinos de automóveis nas ruas da cidade, a Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop) começou a atuar em parceria com Polícia Civil, para onde enviou fotografias e vídeos em que mostra cerca de 200 flanelinhas que atuam indevidamente na Zona Sul. A intenção é evitar que quem já foi retirado das ruas volte a praticar as extorsões.

Os flanelinhas voltam aos seus pontos de atuação porque nas delegacias para onde são encaminhados quase sempre são enquadrados em exercício ilegal da profissão, uma contravenção penal. Agora, segundo Rodrigo Bethlem, titular da Seop, a intenção é enquadrá-los criminalmente por extorsão e formação de quadrilha.

Ao longo de 15 dias, registramos a atuação de cerca de 200 flanelinhas pela Zona Sul. Entregamos à Polícia Civil as imagens, que mostram que esstes guardadores, que são envolvidos em outras atividades criminosas, atuam em grupos. Nossa intenção é fazer com que sejam denunciados. Para isso, precisamos que a população dê queixa nas delegacias, é fundamental para o sucesso de nosso trabalho disse ele, lembrando que desde a noite de quinta-feira, cinco flanelinhas estão presos, depois que duas das vítimas prestaram queixa na 14ª DP (Leblon) e fizeram o reconhecimento dos criminosos.

O delegado Rafael Menezes, do Departamento de Polícia da Capital (DPC), confirmou as ações em conjuto com a Seop e prometeu rigor, quando for constatado que são criminosos .

Não os deixaremos voltar às ruas. Além de extorsão e formação de quadrilha, também poderão ser indiciados em ameaça, constrangimento ilegal e por usurpação de função pública, já que em muitas áreas onde atuam os flanelinhas, a responsabilidade pelas vagas é dos guardadores da empresa que venceu licitação para operar ali disse ele, que prometeu intensificar a atuação em pontos turísticos da cidade, a fim de evitar que os flanelinhas manchem a imagem do Rio .

Nova estratégia

Na noite da última quinta-feira, a Seop agiu nas ruas do Leblon já em parceria com a Polícia Civil. Uma hora antes da ação onde 14 pessoas foram presas, policiais da 14ª DP filmaram os flanelinhas agindo. Logo depois das prisões, o reboques foram chamados, o que fez com que motoristas saíssem dos bares para evitar que seus carros fossem levados. Foram então convfidados a ir à delegacia denunciar a extorsão.