Vacina contra a gripe A não chega a todos os postos

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Prevista para ter começado ontem, a segunda etapa da vacinação contra o vírus H1N1, transmissor da gripe A teve uma inauguração parcial ontem. Não há doses em todos os postos de saúde, e alguns municípios, como Niterói e Duque de Caxias, reclamam de não terem recebido lotes com as doses que devem ser aplicadas em gestantes, consideradas pertencentes a grupos de risco para a doença.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que recebeu a remessa de vacinas sem adjuvante (indicada para a imunização de gestantes contra a gripe A) somente na quinta-feira, e que um dia útil não foi o suficiente para abastecer todos os postos de saúde dos 92 municípios do Rio.

Embora as grávidas sejam um dos públicos-alvo nesta segunda etapa da campanha, que também pretende imunizar doentes crônicos (exceto idosos) e crianças de seis meses até dois anos incompletos, a Secretaria Municipal de Saúde de Duque de Caxias informou que ainda não recebeu a vacina. O secretário de saúde Danilo Gomes informou que cidades vizinhas também enfrentam o problema. Segundo ele, as grávidas de Caxias estão sendo orientadas a retornar na quinta-feira (25), quando os estoques devem estar normalizados.

As gestantes não precisam se preocupar. Ainda teremos mais de uma semana para imunizá-las dentro do prazo estabelecido para a campanha. Estamos preparados para fazer mutirões de vacinação, caso seja necessário garantiu o secretário por meio de nota.

Central

Ontem, a Secretaria Estadual de Saúde informou ter orientado a todos os municípios do Rio que fossem buscar o imunizante na central de armazenamento, mas poucos apareceram na sexta-feira. De acordo com gerente de Doenças Imunopreviníveis e de Transmissão Respiratória da pasta, Andréia Ayres, a remessa encaminhada pelo Ministério da Saúde contém 700 mil doses da vacina sem adjuvante, quantidade suficiente para imunizar todas as gestantes no estado (a estimativa é de que existam 195.465 grávidas no Rio).

Segundo Andréia, todos os municípios que buscaram as doses na sexta-feira foram atendidos, e a expectativa é que não haja prejuízo para o calendário da vacinação, já que essa etapa vai até o dia 2 de abril.

O Sindicato dos Médicos do Rio entrou com um mandado de segurança no Tribunal de Justiça do estado, alegando que os profissionais de saúde não foram totalmente imunizados. Na última sexta-feira, o juiz responsável determinou prazo de 72 horas para a secretaria esclarecer o problema.