Bope abre caminho para nova UPP no Centro do Rio

Thiago Feres, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) deram início, ontem, a uma ocupação no Morro da Providência, no Centro, onde será instalada a sétima Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da cidade. Segundo o planejamento da Secretaria de Segurança, até o final do ano, o objetivo é alcançar a marca de 15 unidades, com 59 comunidades sendo beneficiadas. A presença da PM pretende fazer com que aproximadamente 210 mil pessoas vivam longe do domínio do tráfico armado em favelas do Rio.

Escolhemos a Providência pela proximidade com a Zona Portuária, uma vez que o local passará por uma grande revitalização em breve destacou o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. Além disso, já existia prévio monitoramento da localidade feito pelo Bope. Por isso, não houve o disparo de um tiro sequer. Sabíamos que a facção que domina o tráfico nesta localidade anda enfraquecida, já que os seus integrantes estão divididos.

A ocupação do Morro da Providência também vai favorecer indiretamente 600 mil pessoas que circulam diariamente pela Central do Brasil.

No primeiro dia de operações, 95 policiais do Bope entraram na comunidade apoiados por 150 homens do Batalhão de Choque que ao contrário de outras oportunidades, não farão somente o patrulhamento no entorno da favela. Até o início da noite de ontem, dois homens haviam sido presos, quatro detidos e uma pequena quantidade de drogas apreendida. Sobre a expectativa de se instalar o policiamento comunitário nos morros da Tijuca, Beltrame pediu paciência.

O planejamento foi muito bem elaborado. As ocupações na Tijuca ocorrerão num prazo curto salientou.

A efetiva instalação da nova UPP no Morro da Providência deverá ocorrer no final de abril, quando cerca de mil novos agentes especializados em policiamento comunitário se formarão. Até lá, homens do Bope seguirão na comunidade tentando efetuar prisões de traficantes e buscando armas e drogas. A mesma UPP beneficiará ainda as comunidades da Pedra Lisa e Moreira Pinto, ambas no Centro da cidade.

Ao longo do ano, 3.850 policiais vão concluir os seus cursos. A maioria será deslocada para o policiamento comunitário frisou Beltrame.

As atuais instalações do Grupamento de Polícia em Áreas Especiais (Gpae) na Providência poderão ser aproveitadas pela UPP, mas a Secretaria de Segurança ainda vai estudar o assunto mais detalhadamente. Para realizar o policiamento nas três comunidades, está prevista a utilização de 120 novos policiais.

Reconhecemos que o Gpae do Morro da Providência não atingiu os resultados esperados por nós. Por isso ele está sendo extinto para que a Unidade de Polícia Pacificadora possa agir na localidade. Também não usaremos os mesmos policiais que já fazem parte do Gpae afirmou José Mariano Beltrame.

Sobre a utilização de recursos tecnológicos nas operações, o comandante do Bope, Paulo Henrique Azevedo, destacou que está testando alguns equipamentos, como o GPS, mas que ainda é preciso um aperfeiçoamento do sistema.