Falta de programa social a jovens é o grande problema, diz antropóloga

JB Online

RIO DE JANEIRO - A antropóloga Alba Zaluar, em entrevista à Globo News na manhã desta quarta-feira, pontuou a falta de programas sociais como grande problema para a inclusão dos jovens da Cidade de Deus. Na noite dessa terça, um micro-ônibus foi incendiado como represália à prisão de um traficante com 75 papelotes de cocaína em uma das saídas da Cidade de Deus.

De acordo com a antropóloga, o perfil dos jovens, pelo menos nessas últimas três décadas, se caracteriza pela perca de sensibilidade ao sentimento alheio.

- Esse estado é chamado de "ethos guerreiro", que é o que acontece com soldados em guerra - explica a antropóloga.

Voltando-se para o crime praticado na Cidade de Deus, ela explica que a comunidade tem muitas entradas e saídas e que o tráfico continuava, mesmo que de modo informal. A resposta a prisão do traficante foi um ato de desespero e feriu o tácito acordo entre moradores e bandidos, onde os primeiros não podem ser atingidos.

- Queimar pessoas que não tem nada a a ver com a história é um absurdo - diz.aumenta o vao,.

Segundo Alba, os moradores reclamam que os projetos para os jovens não tem continuado. Após conversar com uma autoridade, o problema é a demora burocrática para a liberação dos recursos.

Para ela, a UPP é eficaz na medida em que tira as armas, que protege o morador de uma pseudo-segurança do tráfico ou da milícia e o estado de direito é colocado em funcionamento.

- A proteção do jovem e prevençao da violência também são necessárias. Todas as escolas e projetos sociais precisam receber mais investimentos para que o jovem volte a ter sua humanidade e dignidade - finaliza.