Estado trabalha para integrar infraestrutura de transportes

JB Online

RIO DE JANEIRO - No próximo dia 20 de março, a Secretaria de Transportes (Setrans) dará o pontapé inicial nas obras da Linha 4 do Metrô, que ligará Ipanema à Barra da Tijuca. O antigo sonho da população da Zona Oeste, a modernização de todo o sistema metroferroviário, a construção de corredores expressos, as reformas de estações e a aquisição de 594 trens e metros fazem parte do anel de alta performance que garantirá a integração da infraestrutura de transportes do Estado e a realização de importantes eventos, como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. São mais de R$ 10 bilhões em investimentos.

- O grande crescimento dos transportes de massa no Rio de Janeiro é uma das grandes vitórias da secretaria. Vamos lançar a pedra fundamental das intervenções da Linha 4 do Metrô, que fará o trajeto Praça General Osório - Jardim Oceânico. As estações previstas são Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Leblon, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico. Nossa missão é assegurar a mobilidade da população, oferecendo transporte público de qualidade, segurança, velocidade e conforto - ressaltou o secretário de Transportes, Julio Lopes, na terça-feira (2/3), durante reunião com o governador Sérgio Cabral.

Os sistemas de transportes metroviário, ferroviário, rodoviário e hidroviário do Estado contam com a Riotrilhos, Metrô Rio, Central, Supervia, Coderte, Detro e Barcas S.A. Para a reestruturação desses serviços e a implementação de outras ações, a Secretaria de Transportes está trabalhando para buscar a reorganização institucional, que já resultou na inauguração de uma nova sede para a Setrans e a racionalização de despesas de custeio e de pessoal; a construção dos corredores estruturais de transporte; o desenvolvimento do planejamento com visão metropolitana; e a logística de cargas.

Em Ipanema, na Zona Sul do Rio, as inaugurações das estações Cantagalo, que atende 25 mil passageiros por dia, e General Osório, que recebe desde o dia 17 de dezembro 50 mil pessoas diariamente, foram algumas das principais obras que beneficiaram a sociedade carioca. Outra obra importante foi a ligação Pavuna-Botafogo, contemplando mais de um milhão de cidadãos. A Secretaria de Transportes entregará ainda a Linha 3 do Metrô, conectando Niterói à São Gonçalo. O Estado do Rio registrou aumento de 17.270.668 passageiros desde o final de 2006 até os dias de hoje.

Os números também são positivos em relação ao uso dos trens. Em 2009, 126.264.580 cidadãos viajaram nas composições. O aumento do número de passageiros está vinculado à aquisição e reforma de carros e à recuperação de estações. Houve ainda melhorias nas estações das Barcas na Praça XV. O governo restaurou sete embarcações e modernizou os bondes de Santa Teresa. A secretaria também participa do projeto do trem de alta velocidade, que fará o trajeto Rio-São Paulo-Campinas, e da reestruturação e criação de aeroportos no Rio de Janeiro, Cabo Frio, Angra dos Reis e Resende.

Depois de mais de trinta anos de espera, os moradores de Niterói comemoraram a implantação do corredor viário da Alameda São Boaventura, primeiro do Estado. O próximo passo será a construção da BRT Avenida Brasil, que substituirá as linhas intermunicipais e municipais por serviços expressos e paradores. Serão criadas estações ao longo do corredor e duas faixas segregadas por sentido. O Porto do Rio Século XXI também está na lista dos mais importantes projetos estratégicos da pasta, em parceria com os governos federal e municipal. A ideia é melhorar os acessos marítimos, rodoviários e ferroviários, para aumentar a movimentação de cargas de U$ 11 bilhões para U$18 bi por ano.

Um dos maiores sistemas de integração de transportes do mundo, o Bilhete Único tem proporcionado um grande benefício econômico para milhares de cidadãos fluminenses que utilizam os meios de transportes públicos na Região Metropolitana. O novo sistema, implantado no dia 1° de fevereiro, permite com que o passageiro possa utilizar até dois meios de transportes, sendo um deles intermunicipal, gastando apenas R$ 4,40. O bilhete é usado durante duas horas em cada deslocamento, tempo suficiente para atender 98% das viagens realizadas na região. Por dia, poderão ser feitas quatro viagens.

Moradores de 20 municípios da Região Metropolitana, como Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Niterói e São Gonçalo, aprovam o sistema. Até o final de fevereiro, o número de viagens feitas com o cartão passou de 12 milhões. Desde a instituição do Bilhete Único, são realizadas mais de 500 mil viagens por dia na Região Metropolitana. Foram feitos mais de 70 mil cadastros através dos postos e do site. O sistema conta ainda com 1,8 milhões de usuários que migraram de outros cartões, como o Vale Transportes e o Expresso.

- A instituição do Bilhete Único foi uma das maiores conquistas para os trabalhadores que têm necessidade de se movimentar na Região Metropolitana do Rio. É uma das maiores vitórias em função do número de viagens e de pessoas beneficiadas no primeiro mês de funcionamento. A meta é facilitar o dia-a-dia do usuário e assegurar-lhe a economia na passagem e no tempo gasto em seus deslocamentos. Houve uma redução de 74 para 12 tarifas de ônibus. Estão previstos investimentos de R$ 220 milhões por ano - explicou o secretário.

Ações como a criação da Agência Metropolitana de Transportes Urbanos (AMTU), certificando a articulação institucional entre Estado, prefeituras e operadores de transporte; do Observatório de Transportes, que está servindo como centro de informações do Bilhete Único; do programa Transporte Limpo, cuja meta é ter toda a frota verde circulando no Rio até 2016; e do projeto Rio Estado da Bicicleta, estimulando o uso do transporte como meio de locomoção, também foram destaques desses três anos de gestão. Outra inauguração relembrada pelo secretário foi a do Google Transit no Rio, banco de dados com mais de mil linhas de ônibus, 8 mil pontos de parada e 40 mil km de vias.

- Vamos continuar no trabalho de ordenação do transporte, de melhora contínua. O que verificamos é que estamos em um momento de reconstruir as infraestruturas do Rio de Janeiro. Estamos recuperando as bases sob as quais o Estado administra a vida dos cidadãos. É muito importante ver o trabalho dos outros secretários e o nosso próprio trabalho na Secretaria de Transportes, para ter uma noção de tudo que o governo fez. Ter os dados comparativos é importante para que a gente possa estar alicerçando o nosso trabalho - concluiu o secretário Júlio Lopes.