Justiça transfere acusado de matar coordenador do AfroReggae

Portal Terra

RIO - O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro informou nesta sexta-feira que o ambulante Reginaldo Martins da Silva, o Renge, um dos acusados de matar o coordenador do grupo Afroreggae Evandro João da Silva, será transferido do presídio de Magé, no interior do Estado.

A juíza Simone de Faria Ferraz, da 16ª Vara Criminal da capital, acatou o pedido da defensora pública Laura Teles durante audiência do processo que apura a morte de Evandro da Silva, em outubro do ano passado. Segundo Teles, Renge estaria sendo ameaçado de morte pelo Comando Vermelho (CV), facção que domina a unidade carcerária de Magé, pois a ONG, a qual a vítima era ligada, prestava serviços sociais para as comunidades dominadas pelo comando.

Rui Mario Maurício de Azevedo, o Romarinho, que também é acusado do crime, e Renge negaram, durante a audiência, os fatos relatados pelas 11 testemunhas de acusação e disseram não se lembrar do que falaram na Delegacia de Polícia.

O destaque da audiência, que durou quase cinco horas, foi o depoimento do ex-morador de rua e atualmente catador de papel, Cleber de Albuquerque Rodrigues, também conhecido como Bigode. Segundo ele, um amigo de Romarinho, chamado Cacá, o procurou afirmando que ele havia prejudicado o acusado e que este iria matá-lo. Após o Ministério Público solicitar a inclusão de Bigode no Programa de Proteção à Testemunha, o catador de papel negou a ajuda da Justiça.

O crime

Evandro foi assassinado na madrugada de 18 de outubro ao reagir a um assalto quando passava na esquina das ruas do Ouvidor e do Carmo, no centro do Rio de Janeiro. Câmeras de segurança de lojas próximas ao local do assassinato registraram a presença dos dois PMs, que chegaram a abordar os dois assaltantes, mas depois os liberaram, ficando ainda como par de tênis e a jaqueta roubados de Evandro.