Deputado vai pedir CPI sobre problemas no metrô

Caio de Menezes, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - A concessionária Metrô Rio poderá ser alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), e de uma Ação Popular do Ministério Público (MP), pedindo o cancelamento da prorrogação do contrato de concessão, que deu à empresa o direito de explorar as linhas de metrô do estado por mais 20 anos.

Nesta quinta-feira, o Conselho Regional e Engenharia e Arquitetura do Rio de Janeiro (Crea-RJ) e o deputado estadual Alessandro Molon (PT) fizeram uma vistoria no serviço prestado pela concessionária.

No dia 1º de fevereiro, na volta do recesso da Alerj, farei o pedido de CPI. Investigaremos como deixaram o metrô chegar a esse estado caótico e o porquê da permissão ter sido renovada por mais 20 anos, tendo como contrapartida apenas a obra que ligou a estação de São Cristóvão à Central do Brasil. Essa obra completa um mês nesta sexta-feira e não trouxe nenhuma melhoria. Tanto os passageiros da Linha 1 como os da Linha 2 nos disseram que o serviço piorou afirmou Molon No máximo na próxima segunda-feira, ingressarei com uma Ação Popular no MP, pedindo a anulação da prorrogação do contrato de concessão. Como renovar com essa empresa se os usuários do serviço são tratados como gado?

O presidente do Crea RJ, Augustinho Guerreiro, que acompanhou a vistoria, classificou como péssimas as condições do metrô do Rio de Janeiro.

No mundo todo, o serviço de metrô se apoia no trinômio rapidez, conforto e segurança. Aqui no Rio, essas bases são muito precárias. Não há intervalos regulares. A nossa Comissão de Análise e Prevenção de Acidentes vai elaborar um relatório e entregará ao Estado, para que este faça o uso devido.

Concessionária se defende

Através de sua assessoria, a Metrô Rio disse que está à disposição das autoridades para prestar todos esclarecimentos necessários. A empresa está trabalhando para reduzir o intervalo entre as composições, a fim de melhorar o atendimento à população .