Lapa Legal não atingiu seus objetivos

Manuela Andreoni, Jornal do Brasil

RIO - O projeto Lapa Legal foi lançado em junho de 2009 com a promessa de reforçar a segurança na região, promover reformas, e acolher moradores de rua. Seis meses depois, no entanto, as reclamações continuam as mesmas. A atendente Leide Anísio de Santos, de 30 anos, critica a sujeira deixada pela recém-implantada Feira Noturna da Lapa:

Eles não colocaram nenhum banheiro químico. Isso aqui é muito fedorento! Da segurança, nem se fala indigna-se.

No programa Lapa Legal, está previsto o patrulhamento 24 horas feito pela Guarda Municipal, que conta com 50 agentes de quinta a domingo. Porém, como revela o sócio da Taberna do Juca, Francisco Grille, os problemas com a segurança persistem.

O dono do Carlito (no encontro entre as ruas Mem de Sá e Lavradio) tem que chamar a polícia de hora em hora por causa de assaltos aos clientes conta.

Os mendigos, por sua vez, vivem embaixo dos primeiros e dos últimos arcos do aqueduto, que formam pequenas cavernas de concreto. Um casal de turistas ingleses entrevistado pela reportagem, no entanto, não ficou surpreso com o abandono da Lapa.

Para a gente, o Brasil é isso mesmo riu Sean Pitchard, 35 anos.