Começam em março as obras de restauração dos Arcos da Lapa

Manuela Andreoni, Jornal do Brasil

RIO - A partir de março, o berço da boemia carioca vai ficar de cara nova. Os Arcos da Lapa, sem reforma desde 1995, serão finalmente restaurados. A ação, patrocinada pela iniciativa privada com incentivos fiscais da Lei Rouanet faz parte do projeto Lapa Legal, lançado pela prefeitura em junho do ano passado. Também serão restauradas a caixa de passagem do bondinho de Santa Teresa e o sistema de iluminação, que contará com novos lampiões que trarão de volta o design original.

Quem banca o R$ 1,2 milhão que a obra custará é o Banco Santander, vencedor da licitação realizada pela prefeitura para a segunda parte do projeto de embelezamento do bairro. Na primeira, que está custando R$ 1,9 milhão (pago pela prefeitura), o foco foi a iluminação do lugar, prevista para ser entregue no fim de fevereiro.

A restauração dos Arcos da Lapa é o toque de estilo que coroa este projeto e vai devolver ao Rio um de seus mais importantes marcos, com toda a sua beleza e opulência declarou o prefeito Eduardo Paes.

A gestão do Projeto será realizada pelo Centro de Estudos e Pesquisas 28, organização da sociedade civil sem fins lucrativos, que foi enquadrou o projeto na Lei Rouanet do Programa Nacional de Apoio à Cultura, que prevê isenção de impostos. As obras devem durar seis meses.

População pede segurança

Por mais que muitos cariocas tenham se mostrem contentes com o projeto, a maioria ouvida pelo JB faz questão de reclamar dos mendigos, da sujeira, e da falta de segurança no bairro. A moradora Luecir Bitencourt, 60 anos, perdeu seu negócio por causa da falta de segurança da Lapa:

Eu fali duas vezes aqui. Acho ótimo pintarem os arcos, mas temos muitas outras demandas ponderou Luecir.

Sócio da Taberna do Juca, na Rua Mem de Sá, Francisco Griller comemora a reforma, mas também reclama:

Precisa vir acompanhada de outras medidas, senão vai voltar a ser o que era em seis meses alertou.