CNDL estima expansão de 17% do crédito para este ano

Jornal do Brasil

RIO - Em 2010, o crédito para pessoas físicas deverá ter expansão de 17%, motivado pela redução de juros reais, incremento da massa salarial e redução do nível de inadimplência das famílias. Nesse cenário, a expectativa é de que as vendas do varejo aumentem 8,5%. A previsão é do presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior.

Segundo ele, o crédito continuará sendo muito influente e balizador das relações de consumo, com reflexos diretos principalmente na vendas de bens duráveis, como automóveis, materiais de construção e eletroeletrônicos. Em nota, Pellizzaro diz que, no Brasil, o comércio representa cerca de 13% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços). O país já é o oitavo mercado consumidor do mundo.

O Brasil superou grandes desafios em 2009 e pôde passar de forma segura pelas turbulências que se anteviam para o período , destaca Pellizzaro em comunicado.

De acordo com ele, isso foi possível graças à solidez do sistema financeiro, à inflação sob controle e a programas sociais que possibilitaram significativa transferência de renda e maior participação no consumo das classes C e D. A nota ressalta que, com isso, houve bom movimento econômico no final do ano, o que permite uma projeção otimista para o país em 2010.

Entre 2003 e 2008, afirma Pellizzaro, 25,9 milhões de pessoas entraram na classe média.

Site Investimentos e Notícias