Cariocas se preparam para Maratona da Disney

Carlos Braga, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Nos próximos dias, cerca de 300 brasileiros embarcam rumo a Orlando, no estado da Flórida, nos Estados Unidos, para participar da Maratona da Disney. Apesar de parecer ter sido organizada pelo Tio Patinhas, já que não há prêmios em dinheiro e os participantes de uma das provas ganham medalhas de borracha, como informam alguns inscritos, o grupo verde-amarelo está animado e em fase final de treinamento.

Já fui à Disney a passeio, nunca para correr conta o maratonista amador e gerente financeiro Luiz Fernando Bastos, 49 anos. Sabia que existia essa maratona, mas não o Desafio do Pateta. Fiquei sabendo pelo Márcio, que é sócio aqui da tenda.

O fato de Luiz Fernando ter o personagem Pateta tatuado sobre a costela é apenas uma coincidência. Ele explica que o apelido que deu origem à tatuagem vem de seu jeito meio estabanado. O evento esportivo, realizado na Disneylândia, conta o maratonista, tem três provas programadas. Pode-se participar das três ou de apenas uma. Há a corrida de cinco quilômetros na sexta-feira, uma meia-maratona no sábado, com com 21,97 quilômetros; e a maratona no domingo, com 42,195 quilômetros. O tal Desafio do Pateta é correr a meia-maratona e, no dia seguinte, participar da maratona. Luiz Fernando acha que tem perna e pulmão pra tanto.

Quem faz a meia-maratona ganha a medalha do Pato Donald. Quem participa das duas provas ganha a medalha do Pateta. É uma prova bastante procurada. Em abril do ano passado, por exemplo, já não havia mais vagas.

O trajeto das corridas corta os principais parques temáticos, como Epcot Center, Magic Kingdom, Animal Kingdom, MGM. Atores vestidos como os personagens da Disney incentivam os atletas durante a prova, que já foi vencida seis vezes pelo brasileiro Adriano Bastos. A inscrição para o Desafio do Pateta custa US$ 285.

Brasileiros buscam hegemonia da competição

Um grupo de 10 brasileiros treinava nesta terça-feira na areia da Praia do Leblon para manter a hegemonia brazuca na Disney. Orientados pelo professor de educação física Marcius Duarte, 49 anos, os maratonistas faziam os últimos preparos para encarar a prova, apesar de o orientador torcer o nariz para o Desafio do Pateta.

O complicado dessa brincadeira é fazer duas provas em dois dias seguidos critica Marcius Duarte. Todos são atletas amadores, mas são pessoas que correm regularmente e têm experiência em maratona e meias-maratonas. É muito puxado. São 63 quilômetros em dois dias. O percurso é feito dentro dos parques. Os personagens aparecem no caminho. Tem uma moça que foi no ano passado, e disse que o grande charme que é ganhar a medalha do Pateta.

Marcius orienta o grupo de corredores amadores nomeado Runners Club. Dentro da possibilidade de tempo de cada um, os atletas amadores cumprem uma agenda de corrida cinco dias por semana. Dos integrantes do Runners Club, apenas 10 participarão do Desafio do Pateta. Marcius conta que, no começo de 2009, eram 30 maratonistas que garantiram participar da prova.

A gente conversa com as pessoas primeiro. Fazemos um trabalho de base no começo do ano. Mas não precisei dizer que a pessoa não tinha condições de correr a prova. A própria natureza se encarregou disso. Vende-se essa prova como se todo mundo pudesse participar dela, mas não é verdade.

Prevenção

Para prevenir danos e prepara melhor o grupo, Marcius tem programado treinos progressivos nos fins de semana. Uma atividade média, explica. Corre-se de 10 a 16 quilômetros no sábado e o dobro da distância no domingo.

Acho que cerca de 6 mil pessoas vão participar do Desafio do Pateta, sendo que 300 são brasileiros calcula Marcius.

Luiz Fernando, o da tatuagem, terá outra prova depois da maratona.

Meu filho me entregou uma mega lista com encomendas.