Hora do sufoco para quem deixou as compras de Natal para o último dia

Manuela Andreoni , Jornal do Brasil

RIO - Deixou as compras de Natal para a última hora? Prepare-se! A maratona em busca de presentes para não chegar na festa de quinta-feira à noite com as mãos abanando promete ser árdua. Como a sua consciência avisou nos últimos dias, será preciso disposição para enfrentar filas e calor em lojas de rua e shoppings a procura do que restou nas prateleiras.

A médica Ignes Mendonça, 50, enfrentou o desafio nesta quarta-feira. Na reta final das compras chegou ao shopping às 11h30 e só esperava sair às 18h. Foi flagrada em meio a um rápido alço, cercado por algumas volumosas sacolas, já às pressas para voltar à batalha.

Não tinha comprado nada ainda. Isso aqui é só começo, falta muito. Só consegui parar de trabalhar hoje lamentou.

A médica trouxe consigo o filho, o estudante Adhemar, 23 anos, com a promessa de que comprariam presentes para o seu aniversário no dia 26.

Vim só para garantir meus presentes brincou o estudante.

Na Saara, Centro, o trânsito de pedestres tornava ainda mais lento o processo. Os fiscais de venda subiam em bancos altos para evitar problemas de furtos com as lojas cheias demais e os gritadores completavam a orquestra da bagunça que se instalou pelas ruelas.

A técnica de enfermagem Mariza Ferreira, 38, disputava as amêndoas das Casas Pedro com outras cinco senhoras.

Venho aqui quase todo ano. Compensa porque é bem mais barato do que em shopping disse Mariza, pingando de suor vim hoje porque minha irmã cismou que tinha que comprar umas bonecas, eu sou mais organizada. Já comprei tudo.

Não é o caso da aposentada Vera Lucia Bastos, 54, que às 12h desta quarta-feira ainda comprava a decoração da festa na Caçula.

- Não deu tempo! A cidade está um caos, tudo fica cheio e a gente vai adiando. Então, hoje, depois daqui, ainda vou comprar os presentes. Apesar desse aperto, depois vale a pena. O Natal é muito importante para a minha família.

Para os atrasados, um alento: de acordo com pesquisa despretenciosa feita pelo site Mercado Livre com seus usuários, 51,8% dos consumidores optaram por fazer as compras na última semana do Natal. O trabalho também aponta que 16,2% dos internautas acabam saindo para as lojas apenas no dia 24. Portanto, se você ainda está devendo algum presente, a maioria dos shoppings fica aberta até as 18h desta quinta-feira.

Se tem gente que ainda não comprou presente, pode ter certeza de que algumas pessoas ainda estão com os ingredientes da ceia nas esperando nas prateleiras dos supermercados. A aposentada Marília Caetano, 63 anos, fugiu do Mundial, onde diz não ter encontrado nem mesmo o tradicional peru de Natal e foi parar no Prezunic de Botafogo.

As empregadas lá de casa sumiram. Acho que no Natal a oferta de trabalho deve ser melhor, né? Agora, estou aqui fazendo compras de última hora e não é nada divertido desabafou Marília, que se preparava psicologicamente para depois entrar no Rio Sul atrás de presentes.

O atleta Robson Gracie, de 20 anos, foi encontrado com a expressão de quem sofre um castigo, Gracie acompanhava a irmã e a tia nas compras de última hora:

Lá em casa é sempre assim. Não tem jeito - admitiu.

A tia, a jornalista Rauiris Castros, 47, é a mestre das ceias da família.

No ano passado, eu estava morando na Espanha e eles me mandaram vários e-mails perguntando como fazia isso ou comprava aquilo conta Rauiris, que leva os sobrinhos na missão , a fim de preparar sucessores.

Vendas crescem 10% em relação ao ano passado

A Associação Brasileira dos Lojistas de Shopping Center (Alshop) estima uma expansão de pelo menos 10% nas vendas de Natal em todo país, na comparação com o ano passado.

Só no Rio Sul (em Botafogo), o crescimento das vendas bateu essa marca, na comparação com 2008. A cada fim de semana, o shopping antende a cerca de 150 mil pessoas. O Barra Shopping, por sua vez, já chega a um faturamento 16% maior, com uma média de 120 mil clientes por dia em seus corredores. O Botafogo Praia Shopping bate recordes está alcançando crescimento de cerca de 25%.

O fluxo de clientes no shopping está 20% superior ao registrado em 2008 justifica o superintendente do Botafogo Praia Shopping, Rodrigo Romano.

Na luta pelos melhores preços, no entanto, muitos consumidores invadem a Saara, onde passam cerca de 2 milhões de pessoas em um dia. Foi o caso da dona de casa Rosângela Aguiar, 40 anos.

Fico ouvindo o pessoal gritar as promoções para entrar ri Rosângela, diante da Saara lotada.

É preciso segurar o mal humor

No frenesi do últimos dias do comércio de Natal, ninguém pensa muito na hora de comprar ou de vender. O negócio é fazer tudo o mais rapidamente possível.

A servidora pública Marcella Pimentel foi ao shopping na terça-feira às 18h e decidiu voltar nesta quarta mais cedo para terminar suas compras antes que as lojas fossem invadidas.

Espero sair daqui no máximo às 17h disse Marcella, que, para evitar os transtornos, comprou tudo o que podia pela internet.

Na loja de roupas Taco, no Rio Sul, os vendedores extras reclamavam da superlotação. Com um salário de cerca de R$ 2 mil em vista para o fim do mês, chegam a atender seis pessoas de uma vez. Para eles, os clientes não colaboram para amenizar a situação.

As pessoas estão ensandecidas. Reclamam de tudo! Até semana passada estava tranqüilo, hoje é o pior dia desabafou a vendedora Bertha Marzall, de 17 anos.

Apesar de esperar um bom faturamento, a gerente Karla Junottem a mesma opinião:

As pessoas estão muito impacientes. Reclamam que está cheio, demora para estacionar e comprar... confessa Karla, que elogiou a força dos funcionários.

Muitos vendedores confessam que só querem o cliente fora da loja com as sacolas o mais rápido possível e que, dos desesperados, só apreciam a objetividade.

Chega uma hora em que você só quer que o cliente vá embora. Estou muito cansada, preciso me sentar! desabafou uma vendedora, que preferiu não se identificar.