Passageira desabafa na estação da Central

Evelyn Soares, JB Online

RIO DE JANEIRO - O primeiro dia após da inauguração da conexão Pavuna-Botafogo, foi de sufoco para os usuários do Metrô Rio. No início do dia, um número reduzido de composições circulava nas duas linhas, o que provocava um intervalo maior entre os trens. Como consequência, plataformas de estações ficaram superlotadas e passageiros não paravam de reclamar dos atrasos.

Para a autônoma Bárbara Santos, de 35 anos, um dia de diversão virou de irritação. com a filha Raquel, de 4 anos, ela saiu às 9 horas da estação de Coelho Neto para ir à praia, e foi obrigada a descer na estação da Central às 11 horas (pelos cálculos do Metrô Rio, o tempo estimado desse trajeto seria de 32m 26s), pois o trem que estava sofreu uma avaria.

Na estação, funcionários avisavam pelo alto-falante que a composição seguinte seguiria até a General Osório, e logo depois informaram que iria para a Glória. A confusão era tanta que nem os seguranças tinham dados corretos.

- Sinceramente, seria muito melhor se tivesse ido de ônibus - disse, arrependida, a autônoma.