Moradores pedem reforço policial nas ruas do Leme

Thiago Feres, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Mesmo depois da pacificação dos Morros da Babilônia e do Chapéu Mangueira, no Leme (Zona Sul), moradores da região continuam reclamando das ações de criminosos no bairro. Nas últimas 48 horas, houve duas ocorrências policiais: a primeira delas foi o assalto ao restaurante Da Bambrini, na Avenida Atlântica 514, de onde cerca de R$ 15 mil foram roubados. A segunda foi o encontro do corpo de uma idosa, aparentando 60 anos, no mar.

E não para por aí. Segundo os moradores, a ação de marginais é frequente na Rua Gustavo Sampaio.

O comércio e os cidadãos de bem viraram alvo dos criminosos. Com a ocupação dos morros, acredito que os marginais desceram para nos atacar destaca o cabelereiro Almir Mataro, 68, que trabalha há 45 anos no Salão Mariar.

O local é mais um estabelecimento na lista dos já assaltados no Leme. Há duas semanas, bandidos armados levaram aproximadamente R$ 28 mil, segundo Almir.

O morador Jorge Canalhal, 59, alerta para a falta de policiamento ostensivo em toda a região.

A Rua Gustavo Sampaio, durante à noite, fica completamente abandonada. A minha filha chega tarde em casa e nunca vê policiais nas ruas próximas ressalta.

Os taxistas também estão apreensivos com a violência.

Ninguém está seguro aqui. Esperamos melhorias no policiamento frisa José Pereira, 70, chefe do ponto de táxi em frente ao número 327 da Rua Gustavo Sampaio.

No restaurante Da Bambrini, a saída para evitar novos assaltos deve ser a instalação de câmeras de segurança. O sub-gerente do estabelecimento, que prefere não se identificar, prevê uma situação ainda pior com a chegada das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) aos morros do bairro vizinho.

Os bandidos de Copacabana vão procurar faturar roubando no asfalto. Com aqui não temos policiamento, viramos alvo fácil para eles reclama.

Assalto quase esclarecido

Nesta terça-feira, o delegado titular da 12ª DP (Copacabana), Antenor Lopes, informou que as investigações sobre o assalto ao restaurante estão adiantadas.

Só não podemos divulgar detalhes disse.

Quanto ao corpo da mulher ele não acredita que tenha qualquer relação com o bairro.

A correnteza sempre faz corpos e objetos aparecerem ali no Leme. O corpo não tinha marcas de violência frisou.

Já a Polícia Militar afirmou que o policiamento foi intensificado.

Comerciantes apreensivos com UPP no Tabajaras

A partir desta quarta-feira, cerca de 80 policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) começam a ocupar a Ladeira dos Tabajaras e o Morro dos Cabritos, ambos em Copacabana (Zona Sul). A medida está deixando comerciantes da região, principalmente na Rua Siqueira Campos, assustados.

Nunca mexeram comigo, mas sem o controle do tráfico, os marginais podem decidir atacar o comércio analisa Lúcio Carlos, gerente de uma farmácia na Siqueira Campos.

O responsável pelo bar Tia Joana, na mesma rua, também torce para que tudo continue da mesma forma.

Queremos a presença policial para os moradores, mas espero que nada mude para o comércio diz José Silva.

Também nesta quarta-feira, será inaugurada a UPP dos Morros Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, com a presença de autoridades estaduais.