MP denuncia por falsidade ideológica de vereador preso no Rio

Portal Terra

RIO - O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou o vereador Cristiano Girão pelo crime de falsidade ideológica, praticado por omissão na declaração de bens ao Tribunal Regional Eleitoral. A informação foi divulgada nesta segunda-feira pelo órgão. Na última quarta-feira, Girão foi preso na Câmara Municipal do Rio acusado de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Segundo o MP, Girão omitiu vários bens ao fazer sua declaração patrimonial ao Tribunal Regional Eleitoral, como uma fazenda de 290 mil m² em Silva Jardim, um imóvel em Jacarepaguá, 50% de um lote em Irajá e seis veículos. Para a promotoria, a omissão visava a ocultar o injustificável aumento de patrimônio, garantindo assim a sua elegibilidade.

Caso seja condenado por falsidade ideológica, Girão pode pegar de um a cinco anos de prisão. O promotor Américo Luzio de Oliveira Filho pediu ainda que não seja dado ao denunciado qualquer benefício penal, já que ele, também acusado por formação de quadrilha, extorsão e lavagem de dinheiro, não preencheria os requisitos legais, objetivos e subjetivos, para desfrutar benefícios como a suspensão do processo.