Mais mortos em outro dia de guerra no Rio

João Pequeno, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Em plena operação da Polícia Militar para sufocar o tráfico em favelas dominadas pelo Comando Vermelho (CV), a facção continua demonstrando poder em algumas delas, como Manguinhos. Nesta sexta-feira, seus bandidos tentaram, por duas vezes, matar uma mulher jogando-a do Viaduto de Benfica, mesmo local onde, na quarta-feira, um traficante apontou uma pistola contra a reportagem do JB. Segundo agentes de segurança que a socorreram no local, ela havia sido expulsa da favela pelos traficantes.

A situação voltou a ficar tensa na Vila Cruzeiro, na Penha, onde a PM procurou novamente o traficante Fabiano Atanázio da Silva, o FB, principal suspeito de ordenar a tentativa de invasão ao Morro dos Macacos, dominado pela facção rival Amigos dos Amigos (ADA), há uma semana, quando criminosos do CV derrubaram um helicóptero da PM, matando três policiais.

Desta vez, ninguém foi preso na Vila Cruzeiro. Três pessoas sem ligação com o tráfico foram baleadas, sem gravidade: o ex-combatente do Exército Brunio de Barros, de 86 anos, Expedito José Rodrigues, de 57, e Severino Marcelino dos Santos, de 50.

O número de mortos desde sábado nas operações e na tentativa de invasão dos Macacos subiu para 41, com seis corpos encontrados na favela do Fumacê, em Realengo (Zona Oeste). Há 58 presos, entre eles menores apreendidos.

Por conta da semana de violência, 10 presos serão transferidos neste sábado para o Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande (MS), segundo a Secretaria de Segurança, entre eles Nei Facão Cruz, Marcelo PQD Soares, Fábio Pinto dos Santos o Fabinho São João e Claudecir Noquinha Oliveira.