Dilma: mortes no Rio mostram falta de participação do Estado

Portal Terra

ARARAQUARA - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta segunda-feira durante visita a Araraquara (SP) que os confrontos que derrubaram um helicóptero e deixaram 12 pessoas mortas no sábado no Rio de Janeiro demonstram a falta da presença do Estado nas comunidades atingidas.

Uma invasão de traficantes a rivais na favela deixou 12 mortos no sábado. Dois policiais que estavam no helicóptero morreram durante a explosão e outro morreu no hospital nesta segunda-feira. Cerca de dois mil policiais foram envolvidos em operações em morros da cidade para tentar capturar os traficantes que participaram direta ou indiretamente da ação criminosa.

- É uma situação muito complicada. O episódio mostra que faltou participação do Estado em alguns momentos. Por isso, algumas comunidades ainda são comandadas pelo tráfico - disse.

Sobre uma possível solução para a violência na cidade, a ministra disse que existem duas maneiras de contornar o quadro, com repressão policial e com projetos sociais.

O ministro do Esporte, Orlando Silva, também esteve na cerimônia e negou que os confrontos influenciem negativamente a imagem do Brasil, mesmo após a cidade ter sido escolhida para sediar os Jogos Olímpicos.

- O Rio vai ser seguro nas Olimpíadas - disse - Não tem impacto (negativo) e não influencia. Temos que dar apoio ao governador para enfrentar a violência no Rio e assim garantir políticas sociais.

Eleição

Pré-candidata à vaga do PT para a campanha pela presidência da República, Dilma negou durante a entrevista que estivesse em pré-campanha.

- Minhas visitas estão incomodando muita gente - disse a ministra, que afirmou ainda que estava cumprindo o papel de ministra ao visitar as obras.