Ex-PMs integrantes de milícia são condenados no RJ

Portal Terra

RIO DE JANEIRO - Sete integrantes da milícia liderada pelos ex-policiais militares Fabrício Mirra e Alexander Dantas de Mello Alves foram condenados nesta quinta-feira no Rio de Janeiro por crime hediondo e de quadrilha armada. O grupo atuava na comunidade da Palmeirinha, favela da zona oeste do Rio, e em Itaguaí.

De acordo com a decisão, os réus Fabrício Fernandes Mirra, Alexander Dantas de Mello Alves e Luciano Galdino Carneiro foram condenados a oito anos de reclusão, em regime inicialmente fechado. Os demais acusados, Marcos Gregório Siqueira da Silva, Adilson de Andrade Pessanha, Damião Juvino da Silva e Erivaldo Juvido da Silva, foram condenados a sete anos de reclusão.

De acordo com a investigação policial denominada Operação Leviatã, os homens invadiam comunidades carentes normalmente dominadas pelo tráfico de drogas, expulsavam traficantes e passavam a dominar as áreas mediante uso de força armada e cobrança forçada de determinados serviços.

Conforme a denúncia, o grupo praticava crimes como homicídio qualificado pela covardia, pela crueldade e pela torpeza de motivos de desafetos do bando criminoso. A milícia ainda cobrava uma "taxa de segurança" de moradores e comerciantes de comunidades carentes por meio de coerção e grave intimidação.

- Os crimes visados pela quadrilha eram em sua maioria crimes hediondos, como homicídios qualificados, homicídios simples praticados em atividade típica de grupos de extermínio e extorsão qualificada, inclusive pela morte. Diversos documentos dos autos revelam essa finalidade, inclusive com indicação de seus autores, mandantes e vítimas - diz a sentença do juiz Rafael de Oliveira Fonseca, titular da Vara Criminal da Comarca de Itaguaí.