Ônibus da Oeste Ocidental continuam fora de circulação

JB Online

RIO - Em audiência realizada na tarde desta sexta-feira, a juíza Márcia Cunha, da 2ª Vara Empresarial da Capital, manteve os ônibus da empresa Oeste Ocidental fora de circulação. De acordo com a decisão, 44 veículos da companhia serão vistoriados neste fim de semana por funcionários do Sindicato dos Rodoviários para que seja comprovado o real estado dos coletivos.

Participaram da audiência o promotor de Justiça Rodrigo Terra, o diretor presidente da viação Oeste Ocidental, Anselmo Vasconcelos Gonçalves; e representantes do Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários do Município do Rio de Janeiro e da Secretaria Municipal de Transportes.

Durante a reunião, o presidente da Oeste Ocidental alegou que a empresa, que possui cerca de mil funcionários, passa por sérias dificuldades financeiras, e que a proibição do tráfego dos veículos impede que ele honre com os compromissos. O argumento, entretanto, não convenceu a magistrada.

"É uma questão de consciência. Se eu autorizar que um veículo sem condições trafegue pelas ruas, o erro é meu. Tenho duas preocupações nesse caso: com a vida e a integridade da população e com a manutenção dos empregos", afirmou a juíza, explicando aos representantes da empresa que esse se tratava de mais um voto de confiança.

A Oeste Ocidental chegou a apresentar uma lista com 24 veículos que haviam sido aprovados em inspeção realizada pelo Ministério Público na semana passada e que estariam aptos a ir para as ruas. Porém, nenhum dos ônibus listados estava com a documentação em dia, conforme constatou José Antônio Lopes Filho, da Secretaria Municipal de Transportes.

Foi decidido então que funcionários do Sindicato dos Rodoviários, em parceria com membros da empresa, trabalharão em regime de plantão durante este fim de semana verificando se consertos e melhorias foram realizados pela administração da companhia nos veículos que estão com os documentos legalizados. Serão inspecionados 44 ônibus. Somente seis passaram pela vistoria no ano de 2009. Os outros 38, apesar de ainda contarem com a licença em vigor, terão que ser vistoriados pelos órgãos competentes até o mês de novembro.

Na próxima segunda-feira, a magistrada terá novo encontro com representantes da ré e, dependendo do resultado da inspeção do sindicato, poderá liberar a circulação de alguns coletivos.