Operações policiais param Niemeyer e Linha Vermelha

Jornal do Brasil

RIO - Em um dia marcado por diversas operações, como tiroteios que fecharam a Linha Vermelha e causaram engarrafamento na Avenida Niemeyer a polícia e prendeu cinco suspeitos de roubo e apreendeu diversas armas, drogas e veículos em diferentes pontos da cidade, como o morro do Vidigal, na Zona Sul, a favela Parque Alegria, no Caju (Zona Norte), e no bairro de Jacarepaguá, na Zona Oeste.

Os cinco suspeitos de integrarem uma quadrilha de assaltantes foram presos durante uma operação conjunta da 17ª DP (São Cristóvão) com a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e a Divisão de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), pela manhã, no Parque Alegria.

Segundo o delegado Túlio Pelosi, titular da 17ª DP, os cinco homens estavam junto com uma espingarda e um transmissor de rádio, que foram apreendidos.

De acordo com Pelosi, eles são suspeitos de praticarem arrastões na Avenida Brasil e nas linhas Vermelha e Amarela.

Durante a operação, a polícia fechou o acesso da Linha Vermelha pela Avenida Brasil na altura do Caju, por questão de segurança.

Bope apoia ação no Vidigal

No Vidigal, até o Batalhão de Operações Especiais (Bope) participou da operação, com um total de aproximadamente 80 policiais militares, sob o comando do 23º Batalhão (Leblon), também na manhã de segunda-feira.

Os policiais pretendiam cumprir oito mandados de prisão, mas acabaram não conseguindo prender ninguém.

Eles apreenderam, no entanto, uma granada, dois revólveres, telefones celulares, roupas com estampas camufladas e uma escopeta, além de dez motos roubadas, que estavam espalhadas pela Avenida Presidente João Goulart.

A operação da PM causou intenso engarrafamento na Avenida Niemeyer, que liga São Conrado ao Leblon, em um horário de forte circulação de carros, que eram parados para verificação de documentos, na tentativa de impedir uma possível fuga das pessoas que eram procuradas.

O morro do Vidigal é alvo de constantes operações da Polícia Militar desde o dia 26 de junho, quando o soldado PM Elias Silva Júnior, do 23º Batalhão, foi morto durante outra ação.

Na ocasião, Elias foi encurralado e baleado por traficantes em uma localidade conhecida como Largo do Santinho. Ele ainda chegou a ser levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, mas não resistiu aos ferimentos.

Traficante e moradora mortos

No mesmo tiroteio, em 26 de junho, a polícia matou um suposto traficante, identificado pelo apelido de Zoião, e uma moradora do Vidigal também acabou sendo ferida na perna, por uma bala perdida. desde então, os traficantes já esperam incursões para prender o responsável pela morte do PM.

Na madrugada de segunda-feira, um policial militar do Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais (Gpae) de Rio das Pedras foi ferido por uma granada atirada contra o carro da PM na Avenida Tenente-Coronel Muniz de Aragão, em Jacarepaguá. Segundo policiais militares do 18º Batalhão (Jacarepaguá), a granada foi lançada por dois homens que passaram de moto.

Ferido por estilhaços, o cabo PM Geloque foi atendido no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.