Funk é proibido no Morro Santa Marta

Jornal do Brasil

RIO - Uma roda de funk que iria acontecer como parte de um evento de cultura de rua foi cancelado pela PM. Segundo o comandante do 2º BPM (Botafogo), tenente-coronel Gileade Albuquerque, existe uma decisão da Justiça que, a pedido dos moradores do bairro, não permite a realização de bailes.

A manifestação político-cultural foi organizada pela Associação dos Profissionais e Amigos do Funk (Apafunk) e pelo movimento Visão da Favela, como atividade da campanha Funk é cultura, que defende o funk como forma de expressão cultural, para além dos preconceitos que o gênero sofreu ao longo dos anos, por ter sido criado em comunidades carentes. Segundo os organizadores, em comunicado oficial, é a primeira vez que o ato da campanha, que já tem um ano, é proibido pela Polícia Militar, embora considerem como rotineiras as ações de repressão contra artistas e festas do gênero.

O comandante Albuquerque, no entanto, informou que não havia sido procurado pelos organizadores a respeito do evento, que se descreve como pedagógico, conscientizando que nem tudo no funk é pornografia ou apologia ao tráfico. Houve também exposições de grafiteiros e artistas de rua.