Cabral promete ar-condicionado em todos os trens do Rio em 8 anos

JB Online

RIO - Fechar a maior compra de trens para transporte de passageiros feita pelo Governo do Rio de Janeiro nos últimos 40 anos, conquistar mais votos para a cidade sediar as Olimpíadas de 2016, e atrair investimentos diretos e indústrias internacionais para o estado.

Estes são apenas alguns dos compromissos que o governador Sérgio Cabral terá durante a missão empresarial e governamental que vai liderar à China e a Cingapura, entre os dias 29 de junho e 04 de julho de 2009. Antes de embarcar, nesta sexta-feira, 26/6, ele disse que, em oito anos, tem a expectativa de colocar ar condicionado em todos os trens do Rio, expondo a intenção de disputar a reeleição.

O primeiro compromisso, em Pequim, será em benefício da população que precisa de transporte de massa. Cabral será recebido na Assembleia Popular Nacional, o parlamento chinês, onde assinará contrato para a entrega de 30 trens (120 carros), que serão repassados à Supervia como parte do processo de modernização do sistema ferroviário metropolitano. A compra utilizará recursos do Banco Mundial (Bird) e terá contrapartida do governo estadual, ao custo de US$ 165 milhões.

"Nosso governo planeja e age permanentemente para oferecer melhores condições de vida aos trabalhadores. Garantir um transporte de massa digno é uma das maneiras de atender às justas reivindicações de nosso povo. Esses 30 trens são modernos e terão ar condicionado. Nós pegamos a Supervia com 10 trens com ar no primeiro mês de governo. Hoje, já são 46. E agora virão mais 30, somando 76 trens. A minha expectativa é de, em oito anos, colocar ar condicionado em todos os trens que rodam no estado. Vamos também dobrar o número de trens do Metrô", afirmou o governador.

O Metrô Rio vai formalizar a compra de 19 trens (114 carros), que aumentarão a frota em 63%. A aquisição faz parte de um pacote de investimentos de R$ 1,15 bilhão da concessionária. Além da compra das composições, o projeto Metrô Século XXI inclui a construção de duas novas estações e a extensão da linha 2. Essas medidas vão permitir que o metrô passe de 550 mil passageiros/dia para mais de 1,1 milhão.

A agenda inclui encontros com empresários e autoridades para trazer ao Rio grandes montadoras de automóveis _ inclusive de carros elétricos _ siderúrgicas, estaleiros e empresas que tenham interesse em construir hotéis, visando a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016). Cabral e comitiva vão se esforçar ainda para atrair investimentos no sistema de transporte de passageiros, em habitação popular, infraestrutura aeroportuária e portuária, e na construção de indústria de transformação de lixo em energia elétrica.

Enquanto a maior parte dos países está em recessão por conta da crise econômica global, a China tem uma enorme reserva financeira e está em busca de projetos e locais seguros para investir. De olho nesse filão, Cabral _ acompanhado por secretários de Estado e empresários do Rio _ atravessará o continente para tentar convencer os chineses de que o Rio é o estado onde eles devem aplicar as suas economias.

Na condição de um dos principais cabos eleitorais da campanha para o Rio sediar os Jogos Olímpicos de 2016, o governador Sérgio Cabral vai se reunir com o prefeito de Pequim, onde foram realizadas as Olimpíadas de 2008. Ele quer trocar experiências que possam ser aproveitadas na candidatura e no caso de a cidade ser eleita, em 2 de outubro, a sede dos Jogos. Em Cingapura, Cabral terá ainda encontro com membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) para reforçar o projeto carioca.

A delegação governamental oficial é composta pelo governador e pelos secretários Joaquim Levy (Fazenda), Júlio Bueno (Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços), Júlio Lopes (Transportes) e Marilene Ramos (Ambiente).