Tios são acusados de espancar menina de 4 anos na Zona Oeste

Felipe Sáles, JB Online

RIO - Os tios de duas crianças, filhas de pais de diferentes nacionalidades tal como acontece com o menino Sean Goldman são suspeitos de espancar e abusar sexualmente de uma menina de quatro anos, que está entre a vida e a morte. Filha de pai austríaco e mãe brasileira que sofre de problemas psiquiátricos e está desaparecida S.Z. ficou com hematomas por todo o corpo, quebrou os dois pulsos e sofreu afundamento no crânio depois de, segundo sua tia, Giovana dos Santos Viana, ter caído no banheiro e brigado com o irmão R.Z., de 11 anos. Giovana, o marido Fernando Viana que é guarda municipal e sua filha, Lilian Viana única que estava na casa quando foi ferida poderão ser indiciados por tortura, maus tratos e lesão corporal grave.

O crime aconteceu na tarde de sexta-feira, Dia dos Namorados. A menina foi levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Cruz, por Lilian e pela vizinha Silvia Cavalcanti, que já vinha notando hematomas nos corpos tanto de S.Z. quanto do irmão R.Z. O estado da menina assustou a equipe médica, que imediatamente ligou para a polícia e a transferiu para o Hospital Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, Duque de Caxias, onde permanece em coma no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), respirando com a ajuda de aparelhos.

Quando voltamos, perguntei ao R.Z. se ele tinha feito aquilo, e ele negou. A Lilian agarrou o menino, perguntou de forma incisiva e ele só baixou a cabeça contou Silvia. Até a mãe das crianças já me disse que Giovana a agredia. As crianças costumam trabalhar na casa e raramente estão na rua brincando.

Picada de mosquito

Segundo o prontuário médico, as lesões apresentadas são totalmente incompatíveis com o fato . A ficha destaca que R.Z. também apresentava hematomas. O estado de saúde de S.Z. é tão grave que ela não tem sequer condições de ser removida para outro hospital e, segundo os médicos, se sobreviver, são grandes as chances de ficar com seqüelas. Técnica de enfermagem, a também vizinha Maria Diléa ouviu explicação inusitada de Lilian.

Vi os hematomas, e Lilian argumentou que as crianças tinham alergia a mosquito contou.

No prontuário ainda está anexado um relatório do Serviço Social do hospital e do Conselho Tutelar de Santa Cruz, alegando que as duas crianças sofreriam agressões físicas e sexuais. Ontem, o juiz da 27ª Vara Federal transferiu R.Z. para a casa de outros parentes.

Os próprios tios pleitearam a guarda provisória em dezembro contou o conselheiro tutelar de Santa Cruz, Marcelo Machado. Eles têm também a guarda de M., de 10 anos, filha de um irmão da Giovana, e vamos acompanhar o caso para evitar novos maus tratos.

O delegado da 36ª DP (Santa Cruz), Aguinaldo Ribeiro da Silva, ouviu ontem os tios que detêm a guarda, a filha Lilian, 21 anos, e M. 10. Todos negaram as agressões inclusive M., que também seria uma das vítimas. Até o fechamento desta edição, o delegado não havia concluído o caso, mas informou que estudava indiciar a Giovana e Lilian pelos crimes de maus tratos, lesão corporal grave e tortura.

Tudo indica que a menina foi torturada afirmou o delegado. Em princípio, não nos parece crível que um menino de 11 anos tenha sido capaz, até por falta de força física, de cometer lesões tão graves.

Segundo a polícia, corre na justiça um processo para que seja definido se as duas crianças ficarão sob a guarda dos tios ou do pai, na Áustria.