340 policiais sufocam fontes de renda de milícias

JB Online

RIO - Pelo segundo dia consecutivo, as polícias Civil e Militar fizeram uma operação na Zona Oeste para combater as milícias da região. O objetivo foi reprimir os negócios ilegais explorados e cortar parte da renda dos grupos paramilitares de Campo Grande e bairros vizinhos, como o transporte ilegal de passageiros e atividades comerciais que não pagam impostos. Foram encontrados um depósito de armas, dois de botijões de gás e três centrais clandestinas de TV a cabo.

No paiol, que seria do miliciano Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, a polícia encontrou granadas e diversas armas uma delas inusitada: muleta transformada em espingarda. A ação contou com o apoio da Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop), que rebocou 13 veículos entre vans e Kombis que transportavam passageiros. Foram lacradas outras 12 vans e multados mais 13 veículos.

O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, o subsecretário operacional da secretaria, Roberto Sá, e o chefe de Polícia Civil, Allan Turnowski, acompanharam a operação, sobrevoando a região de helicóptero. Cerca de 340 policiais civis e militares participaram. A polícia tinha ainda como objetivo cumprir 19 mandados de prisão.

A operação será repetida durante 30 dias e, ao fim desse prazo, feito um balanço. A fiscalização poderá ser prorrogada por mais 60 dias. Estima-se que o comércio paralelo de gás movimente mais de 50 mil botijões por mês e que existam cerca de 100 mil ligações clandestinas de TV.

Bingos estourados

Policiais federais fecharam sete bingos clandestinos em seis bairros do Rio, durante a Operação Camaleão, deflagrada na noite de anteontem. Cerca de 200 máquinas de videobingo foram apreendidas, e nove pessoas, detidas. Segundo o delegado da Polícia Federal André Diniz, a repressão a esse tipo de jogo ilegal será permanente.

No Rio, três bingos fechados ficavam em Ipanema e Botafogo, na Zona Sul, e os outros, no Grajaú, Méier e Bonsucesso (Zona Norte). Houve buscas também em Campo Grande, onde foram encontradas máquinas caça-níqueis em bares. Em São Gonçalo, na Região Metropolitana, a PF de Niterói deteve dois comerciantes que mantinham esse tipo de máquina em seus estabelecimentos.

A maioria dos detidos nas operações era gerente e se apresentou como responsável pelos cassinos clandestinos na ausência dos proprietários.

O objetivo é prender em flagrante o comerciante que mantém esse tipo de negócio ou o gerente que está atuando no momento da operação disse o delegado André Diniz.

O maquinário apreendido foi levado para o depósito da Receita Federal, em Benfica (Zona Norte).