Rio continua com desperdícios flagrantes de energia

Ana Paula Verly, Urbano Erbiste, Jornal do Brasil

RIO - O desperdício de energia elétrica nos postes de iluminação das vias públicas continua flagrante na cidade do Rio. Em pelo menos cinco bairros da cidade, a reportagem do Jornal do Brasil constatou que dezenas de lâmpadas ficam acesas constantemente, ao longo de toda a manhã, o que representa um consumo desnecessário da energia e desperdício de dinheiro público.

Durante três dias consecutivos, o JB flagrou quatro lâmpadas acesas em frente ao prédio dos Correios, ao lado da sede da prefeitura, na Avenida Presidente Vargas, Cidade Nova; pelo menos 24 na Avenida Brasil, altura de Irajá, em frente à passarela 23; cerca de 10, no acesso à Linha Vermelha pela Rodovia Presidente Dutra; e várias ao longo da Avenida Paulo de Frontin, no Rio Comprido, e nas ruas transversais a ela, na Tijuca. O percurso foi feito sempre entre 10h e 12h.

Procurada pela reportagem, a RioLuz informou que a suspeita é que esses postes devam estar com defeito nos sensores de luz natural, que aciona ou desliga as lâmpadas à noite e de dia.

Segundo a RioLuz, parte dos equipamentos, comprados em um pregão eletrônico no fim de abril, chegaram quarta-feira, o que permitirá que os reparos nesses postes possam acontecer. Os técnicos intensificariam os serviços de reparo em pontos onde há a necessidade de troca de material a partir da noite de quarta-feira.

Por ocasião da Hora do Planeta, evento liderado pela ONG WWW (sigla em inglês da Fundação para a Vida Selvagem) que fez pessoas no mundo inteiro apagarem suas luzes por uma hora no dia 28 de março há exatos dois meses , a Prefeitura do Rio deu sua contribuição desligando as luzes de alguns de seus cartões-postais: o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar e a orla de Copacabana ficaram às escuras. À época, o Jornal do Brasil também questionou a autoridade municipal a respeito dos postes acesos durante o dia na Tijuca e do Rio Comprido. E recebeu a resposta de que era difícil controlar o funcionamento de todos os postes da cidade, mas que os cidadãos poderiam mandar seus comunicados a respeitos de funcionamento inútil dos postes por meio do telefone (21) 2535- 5151 ou pelo email para [email protected] Por enquanto, a cidade ainda espera.