Comissão pedirá ao prefeito suspensão das demolições no Recreio

JB Online

RIO - Mais de 400 imóveis estão ameaçados de serem demolidos no Recreio. Desde segunda, dia 25 de maio, cerca de 1.200 moradores dessas residências receberam aviso da prefeitura de que têm 30 dias para abandonar suas casas. O assunto foi discutido em audiência pública, promovida na Câmara, nesta quarta, pela vereadora Liliam Sá (PR), marcada por muita indignação de cerca de 200 moradores que lotaram o plenário.

Segundo a prefeitura, as residências são irregulares.

- Mas perto do túnel Zuzu Angel também há mansões construídas em áreas de proteção ambiental e não vemos choque de ordem nesses locais, disse a vereadora.

O presidente da Associação de Moradores e Proprietários de Prédios do Leblon e de Ipanema, Augusto Boisson, citou um estudo recente do Instituto Pereira Passos que mostrou que 69,7% das áreas acima de 100 metros de altitude no município do Rio são ocupadas pelas classes média e alta.

- O choque de ordem tem se mostrado muito forte com os fracos e muito fraco com os fortes, disparou Boisson.

Nas faixas das galerias estavam frases de protesto do tipo "Enquanto Lula promete um milhão de casas, Eduardo Paes promete desabrigar mais de mil famílias."

O presidente da Associação de Moradores do Pontal Recreio, Nápoles Menezes, disse que as pessoas compraram seus imóveis, naquela região, na maior boa fé.

- O povo não é espertalhão, como mencionou o prefeito que alega que existem especuladores imobiliários, mas não explica por que, em frente à praia, há um prédio de sete andares que não é legalizado, declarou.

A moradora Flávia Machado pediu clemência à Câmara.

- Quando tinha 18 anos, comprei a Constituição. Hoje, não consigo entender o que pensa o prefeito. Era melhor que jogassem uma bomba na comunidade, porque todo mundo ia morrer sem sentir dor, disse Flávia, desesperada.

Há moradores que pagam até R$ 1.000 mensais por suas casas que compraram de construtora.

Solução

A vereadora Liliam Sá está reunindo a documentação necessária dos moradores para entrar com uma ação no Ministério Público contra as demolições. A parlamentar também está formando uma Comissão para ir ao prefeito Eduardo Paes pedir a suspensão das demolições. O trabalho tem o apoio dos vereadores Cristiano Girão (PMN) e Bencardino (PRTB).