Polícia fecha lojas supostamente ligadas a milícias

Jornal do Brasil

RIO - Uma operação deflagrada na manhã de ontem por policiais da 16ª DP (Barra) deu um duro golpe no comércio ilegal que funcionava na Comunidade do Terreirão, no Recreio, Zona Oeste do Rio. Durante a ação, três locadoras de DVD, três lan houses, um posto de telefonia e algumas biroscas foram fechados. Sete pessoas foram detidas.

Cinco viaturas e 15 policiais civis participaram da ação, que teve início por volta das 9h e chamou a atenção da comunidade local. Segundo o delegado titular da 16ª DP (Barra), Carlos Augusto Nogueira Pinto, o objetivo da operação era reprimir o comércio ilegal que alimenta, dentre outras práticas ilícitas, as milícias que atuam naquela localidade.

Cada locadora tinha aproximadamente 4.000 DVDs piratas. Nunca vi nada parecido, pois eram lojas bem estruturadas, com ar-condicionado e balconistas, como se fossem legalizados disse.

Outra surpresa foi a descoberta de uma central de telefonia clandestina, utilizada por moradores da comunidade e também funcionava dentro do Terreirão.

No dia 5 de maio, agentes da 16ª DP (Barra) também prenderam três acusados de pertencer à milícia que controlava as favelas Beira Rio e Novo Rio, no Recreio um deles é PM e o outro, fuzileiro naval. O grupo é suspeito de homicídio e tentativa de assassinato.