Mãe confessa que espancou filha encontrada morta em um carro

JB Online

RIO - Maria Glória Silva Magalhães, de 44 anos, confessou ter espancado a filha Susana Silva Magalhães, 20, que morreu ao bater com a cabeça no chão. O crime aconteceu no início da noite desta segunda-feira, na residência da mãe, na Rua Adriano, em Todos os Santos, na Zona Norte. O corpo de Susana foi encontrado no porta-malas de um Fiat Uno, na madrugada desta quarta-feira, quando o veículo foi parado por policiais do 3º BPM (Méier), na Rua Miguel Cervantes, no Cachambi.

O carro era dirigido por Gerson Luiz dos Santos Canoza, de 43 anos que estava acompanhado do amigo Leandro Moreira Moura, 20. Gerson contou aos policiais que fora contratado por Maria Glória e o irmão dela, Silvio da Costa Silva, tio da vítima, para desaparecer com o corpo de Susana. A mãe dela, inicialmente, negou sua participação na morte da filha, mas depois contou aos policiais da 25ª DP (Rocha), que teria brigado com Susane e que ela quebrou a cabeça ao cair no chão. O delegado Márcio Esteves prendeu em flagrante por ocultação de cadáver, Maria Glória, o irmão Silvio, Gerson e Leandro.

De acordo com o delegado, a mãe de Susana, contou que a filha estava desaparecida desde 18 julho do ano passado e só conversavam com ela por telefone. Maria disse ainda que Susane apareceu em casa na segunda-feira, aparentemente alterada, e que ela começou a debochar. Por causa disso ficou irritada e bateu na filha até ela cair no chão, ocasião que ouviu um estalo da cabeça de Susane. Maria Glória acrescentou que ouviu a filha dizer você me matou .

O delegado Márcio Esteves informou que Susane estava muito magra em pele e osso . Maria Glória, além de responder pelo crime de ocultação, foi indiciada em inquérito policial, por homicídio. O delegado pediu a Justiça à prisão preventiva de Maria.