Beltrame confessa que segundo emprego atrapalha desempenho de policial

João Paulo Aquino, Jornal do Brasil

RIO - O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, reconheceu nesta quarta-feira que o bico de policiais prejudica o desempenho de seus homens na vigilância pública. Porém admitiu que não vai combater o problema enquanto o governador Sérgio Cabral não pagar salários dignos. Hoje, um policial militar, ao começar a carreira, ganha entre R$ 800 e R$ 1 mil, o pior salário dentre todas as PMs do Brasil.

Queremos que o policial, enquanto estiver de folga, vá para casa descansar e, na segunda folga, volte ao batalhão para treinar ou para estudar. Porém, devido às condições salariais, o policial não consegue fazer isso hoje. Ele está buscando complementar o seu salário admitiu. Essa situação é histórica, se registra há muito tempo no estado do Rio.

Beltrame justificou a sua posição de não punir os policiais nesta quarta de tarde, durante entrevista coletiva na sede de Secretaria de Segurança, na Central do Brasil, onde divulgou números do Instituto de Segurança Pública (veja abaixo). Segundo ele, não adianta apenas usar o braço da repressão para cuidar da questão salarial.

É injustificável lamentou.

Para o secretário, no entanto, os baixos salários não justificam o alto índice de corrupção na corporação, ou mesmo o envolvimento com as milícias ou tráfico.

Tem muita gente que ganha bem e não pára de roubar. Essa história de ganhar mal e estar envolvido com o crime não me serve como explicação. Trata-se de um comportamento de caráter e formação. A pobreza sempre existiu. Eu mesmo há muito tempo convivia com essa pobreza e não tinha esse comportamento por causa da formação exemplificou, ao citar sua própria vida.

Sobre um possível aumento salarial aos policiais, disse que há um planejamento de reajuste para este ano, assim como houve em 2008, mas não citou números e datas.

Oxalá todos os governos dessem 1% ou 2% de aumento ao longo de 20, 30 anos. Se assim fosse, não estaríamos nessa situação defendeu-se.

O responsável pela estratégia de segurança do estado tem feito críticas ao governador, mas afastou qualquer possibilidade de crise entre os dois. Beltrame afirmou que todas as suas reivindicações têm sido atendidas pelo governador, e garantiu não estar decepcionado com a gestão estadual. Mas fez questão de frisar que o problema atual envolve medidas globais, e não apenas policiamento.

A violência não é solucionada apenas com o policial no local. Em alguns lugares, pedi ações da prefeitura, colocação de pontos de iluminação, limpeza da Comlurb e até a presença da Secretaria de Assistência Social. Depois de fornecidos esses trabalhos, semanalmente faço visitas aos lugares e procuro acompanhar todos o andamento adicionou.

Para Beltrame, o sucesso das operações está também na prestação de serviços à comunidade. Segundo ele, há redução nos índices de criminalidade quando o cidadão tem suas necessidades atendidas.