Prefeitura interdita saibreira poluidora em Jacarepaguá

JB Online

RIO - A Secretaria Municipal de Meio Ambiente está estão interditando, na manhã desta terça-feira, as atividades de lavra da saibreira Campo de Areia, localizada na rua de mesmo nome, s/n°, na Taquara, Jacarepaguá. Com o apoio da Guarda Municipal, agentes da Patrulha Ambiental da secretaria e da subprefeitura da Barra e Jacarepaguá, as instalações estão sendo lacradas e máquinas e caminhões apreendidos. A ação é para interromper as agressões ambientais provocadas no local, ao fato de a empresa estar com os seus prazos de autorização para funcionamento quase todos já vencidos, e atende a centenas de denúncias da comunidade de Jacarepaguá.

A saibreira, que tem duas razões sociais, Melo Duarte Comércio Atacadista de Material de Construções Ltda. (exploradora da lavra) e H.J. Rodrigues Ltda (proprietária da encosta), está dentro de uma Area de Proteção Ambiental (APA) e funciona com licença do governo municipal passado.

É visível a existência de impactos ambientais negativos, com repercussão no entorno e no bairro da Taquara, como problemas ao trânsito causados pelo constante vai-vem de veículos pesados em número e frequência superiores aos padrões normalmente liberados pela secretaria e pela GEO-RIO e poluição sonora e ambiental.

A extração está sendo realizada em ritmo bastante intenso, com a retirada de 300 caminhões por dia, o equivalente de 3.600 metros cúbicos de saibro, muito superior ao normalmente liberado pelas autoridades municipais. Os técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente também observaram que as vias de acesso à saibreira não estão em condições de suportar esse aumento do fluxo de veículos pesados, havendo o risco de causar sérios acidentes, danos graves à via pública, destruição do calçamento, assoreamento da rede de drenagem, poluição sonora e emissão excessiva de material particulado para a atmosfera, também agressivo à saúde da população local.

As atividades da saibreira provocam, ainda, prejuízos financeiros à administração pública, responsável pelo recapeamento asfáltico da via de acesso ao local. A interdição será mantida até que sejam realizadas novas avaliações pela

secretaria, pela CET-RIO e pela Secretaria Municipal de Obras, e até que a empresa infratora adote medidas compensatórias aos impactos e aos danos ambientais gerados pela lavra de saibro.