Detran mantém mutirão para regularizar emissão de habilitações

JB Online

RIO - O Detran-RJ trabalhou no sábado (14/3) e no domingo (15/3) e vai continuar trabalhando em tempo integral para regularizar, até o próximo fim de semana, a expedição das 17 mil Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) que ainda não foram confeccionadas devido à paralisação, para manutenção e aperfeiçoamento, do sistema informatizado do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Ao dar essas informações, o presidente do Detran, Fernando Avelino, explicou que o fato de o sistema do Denatran ter ficado fora do ar durante quatro dias e funcionado com grandes interrupções por outros sete dias resultou numa demanda reprimida de 33 mil CNHs, das quais 16 mil já foram expedidas, graças ao atual esforço concentrado dos funcionários do órgão.

- Como se pode ver, já entregamos 16 mil carteiras, mas ainda faltam 17 mil a serem entregues. Esperamos que, até o fim de semana que vem, nós consigamos resolver essa demanda reprimida. Isto significa dizer que nós temos que entregar 6.500 CNHs por dia, já que não podemos deixar essa demanda crescer - disse Avelino.

Fernando Avelino acrescentou que, em situação normal, o Detran entrega três mil carteiras por dia, razão pela qual terá de produzir mais do que o dobro para que a situação volte a se normalizar.

- Então, teremos que entregar carteiras já atrasadas e não deixar que as novas três mil da média diária também atrasem. Por isso, estamos trabalhando direto, com muito suor, mas também com muita alegria por estarmos nos esforçando para prestar um serviço de qualidade à população do Estado do Rio de Janeiro - declarou o presidente do Detran, depois de elogiar as equipes que estão participando do esforço concentrado.

Ele fez questão de deixar bem claro que o Denatran, que é o órgão nacional de trânsito, está fazendo uma modificação, um upgrade no seu sistema, através do Serpro, o que provoca os incômodos atuais, mas que será, em seguida, de grande serventia .

- Quando você faz um exame de motorista, até o nome do médico que lhe atendeu, de agora em diante, estará lá, constando. Quer dizer, lá de Brasília, eles terão uma visão global, nacional, com extremo rigor, que vai facilitar muita coisa. Vai facilitar, por exemplo, a transferência de carteira de habilitação de um estado para o outro, entre outros pontos argumentou Avelino.