Moradores da Barra fazem balanço positivo da Operação Verão

Luciana Lacerda, JB Online

BARRA - Há um mês, a Operação Verão é colocada em prática nas praias da Barra e do Recreio. O retrato de longas filas de carros, motoristas irritados e agentes trabalhando incansavelmente poderiam nos levar a crer que o projeto foi um desastre. Mas, apesar de ter sido alvo de muitas reclamações nas primeiras semanas, o balanço que a prefeitura e moradores fazem desta primeira fase é positivo.

O engenheiro de trânsito Fernando Mac Dowell explica que o grande volume de carros em direção à Praia da Barra nos fins de semana se dá por um fenômeno: 55% dos cariocas preferem o local para curtir o sol.

- Fizemos uma pesquisa e o grande problema é que mais da metade da população prefere as praias da Barra e do Recreio. Inclusive os moradores de Copacabana e Leblon, para não falar dos que vêm pela Linha Amarela e moram no subúrbio. Resultado: o trânsito fica engarrafado porque são muitas pessoas migrando para o mesmo lugar resume Mac Dowell. - Para atender com folga o número de pessoas que frequentam essas praias num domingo de sol, por exemplo, seria necessário ter todas as principais avenidas com praticamente o dobro do número de faixas. Em contrapartida, em dias comuns, teríamos pistas sem uso.

Claudia Antunes Secin, presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), conta que ao montar a Operação Verão teve uma preocupação especial com a obra inacabada da ponte sobre o Canal das Taxas.

- O Recreio dispõe de poucos eixos que ligam as vias internas à praia. Nós preparamos um esquema diferente, porque sabíamos que a obra da ponte estava inacabada e, por causa disso, eliminamos a pista reversível na Avenida Lúcio Costa, como era feito nos anos anteriores e era uma reclamação antiga dos moradores. Diante disso, decidimos manter a mão dupla esclarece Claudia. - No primeiro fim de semana, a situação ficou meio complicada. Toda a equipe, inclusive eu, ficou acompanhando e auxiliando as operações na Barra e no Recreio.

Já no segundo fim de semana um sistema de rotas na Avenida Gláucio Gil estava provocando retenções, que se estendiam até a Avenida Sernambetiba. Então, a CET-Rio decidiu fechar alguns retornos.

- Fizemos um meio anel para que as pessoas tivessem que descer a avenida Gláucio Gil, sentido praia, girar na Avenida Lúcio Costa e fazer o retorno para acessar a Avenida Gláucio Gil. Apesar de ser um percurso mais longo, fez o trânsito fluir. E agradeço a compreensão das pessoas por isso.

Além das mudanças na Avenida Gláucio Gil, a Avenida Sernambetiba recebeu um esquema de controle de veículos que entravam na Reserva. A partir das 11h, o acesso poderia ser interditado de acordo com a disponibilidade de vagas de estacionamento.

- Fizemos uma regulagem do trânsito. Ficamos abrindo e fechando a barreira de acordo com a necessidade. Acho que funcionou muito bem. No dia 25 de janeiro, a Secretaria Municipal de Obras disponibilizou uma ponte provisória na Rua Pedro Moura, no Canal das Taxas. Começamos a trabalhar com essa ponte e os moradores nos apoiaram. Depois disso, paramos de fechar os retornos da Avenida Gláucio Gil e começamos a fazer uma reversível na ponte, porque só tinha um sentido. Até às 14h, funcionava no sentido praia, e depois, no sentido Avenida das Américas.

Claudia conta que o uso de painéis móveis, que foram distribuídos pelas principais vias da região, ajudou a deixar os motoristas bem informados sobre as condições do trânsito. Ela antecipa que para o Carnaval a Operação Verão será mantida nos mesmos moldes, até que a Secretaria de Obras disponibilize o outro sentido da ponte provisória sobre o Canal das Taxas.

Ao avaliar o primeiro mês da Operação Verão, Cleomar Paredes, presidente da Associação de Moradores do Recreio (Amor), concorda com o balanço feito pela prefeitura.

- A opinião dos moradores é a de que houve uma sensível melhora depois que foi colocada a ponte no Canal das Taxas, porque antes tinha ficado um caos. Como de lá para cá o tempo tem estado instável, o fluxo de carros diminuiu. A ponte faz muita diferença. Estamos a aguardando um dia de sol forte para testar diz Cleomar.

Sobre a expectativa em relação ao atual modelo da Operação Verão para o resto da estação, o presidente da associação é cético:

- Acho que deve ser mais intensificada. A Avenida das Américas está em obras pela Cedae. Isso dificulta um pouco a passagem de quem vai para o Recreio. Precisamos também de mais choque de ordem na orla.

Ao contrário de Cleomar, a presidente da CET-Rio não vê motivos para se preocupar com as operações no resto do verão.

- A gente conseguiu um balanço positivo dessa operação, que foi complicada no início, mas que já está melhor agora. E só conseguimos isso porque toda a prefeitura está trabalhando em conjunto avalia Claudia. A expectativa para o resto da estação é de tranquilidade. Estamos usando toda a gestão inteligente da CET-Rio, colocando todos os equipamentos na rua e trabalhando com agentes.