Traficante da Mangueira ganha 18 caroas de flores no enterro

JB Online

RIO - Cerca de 200 pessoas acompanharam o enterro de Leandro Monteiro Reis, o Pitbull, chefe do tráfico da Mangueira, no cemitério São João Batista, em Botafogo. Quatro ônibus deixaram a comunidade para ir ao enterro. Durante o cortejo, o traficante foi aplaudido várias vezes. Começou há pouco, uma queima de fogos no alto do Morro dos Tabajaras, provavelmente uma homenagem Pitbull, morto na última quarta-feira em um confronto com a Policia Civil.. A Polícia Militar informou que vai ocupar as imediações do cemitério por tempo indeterminado.

Três horas antes de enterro, houve troca de tiros com traficantes do Tabajara porque 25 policiais do 2º BPM (Botafogo), do 19º BPM (Copacabana) e 23º BPM (Leblon) ocuparam o morro. Um traficante ficou baleado e foi levado para o Hospital Rocha Faria, em Botafogo. O confronto começou porque os bandidos queriam soltar fogos, como uma reverência a Pitbull. Os PMs apreenderam uma pistola 9 mm e duas cangalhas de fogos.

Pitbull recebeu, ao todo 18, coroas de flores de comunidades dominadas pela mesma facção da Mangueira, como do Jacaré, Cidade Alta, Manguinhos, Pavão-Pavãozinho, Tuiuti e Complexo da Penha. Durante o enterro, as pessoas estavam inconformadas. Duas pessoas, identificadas como primas do traficante, passaram mal. As viúvas do traficante também foram ao enterro. A comunidade cantou músicas religiosas e, por diversas vezes, chamou Pitbull de guerreiro.

Cinqüenta policiais militares fardados e 20 homens do serviço reservado fizeram a segurança no cemitério.