Conjunto residencial do Cantagalo recebe laje na próxima semana

JB Online

RIO - O Conjunto Residencial do Cantagalo, o primeiro a ser construído no complexo do Pavão/Pavãozinho-Cantagalo, com vista para Ipanema, começa a receber a primeira laje na próxima semana. As obras, incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), estão dentro do cronograma do governo, que espera entregar até o final do ano todas as 216 unidades habitacionais na região, além de novas ruas e todo o saneamento básico e drenagem do complexo.

Para o vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, essa obra é importante por dar uma melhor qualidade de vida para milhares de famílias que esperavam por melhorias há décadas. Pezão encontrou, na localidade conhecida por Caranguejo, várias casas de taipa, madeira e papelão e reiterou que é inadmissível que, em pleno século 21, ainda existam pessoas que vivam em condições insalubres numa área onde o preço do metro quadrado é tão alto.

- Não podemos aceitar que numa área de grande importância turística, como Copacabana e Ipanema, Zona Sul do Rio de Janeiro, ainda existam pessoas que vivam em condições insalubres. Se nós lutamos contra esse tipo de moradia nas cidades do interior, não vamos deixar que essas coisas aconteçam aqui afirmou Pezão.

O primeiro prédio terá 64 apartamentos, sendo 35 no primeiro bloco e 29 no segundo, que possui três unidades adaptadas para portadores de necessidades especiais. Com estrutura de metal, compatível com prédios construídos em muitas capitais mundiais, ele fica no final da Estrada do Cantagalo, próximo do Ciep João Goulart, que abriga também diversos programas sociais. Os novos apartamentos servirão para abrigar moradores de áreas de risco e de regiões onde serão abertas novas ruas e haverá a construção de um grande reservatório de água, para suprir os três morros.

As obras de saneamento básico estão em sua fase final. Após a conclusão das redes de distribuição de água e coleta de esgoto e de toda a rede de drenagem das três comunidades, agora é hora de verificar pequenos detalhes. Apesar das fortes chuvas que estão caindo no Rio há quase um mês, não foi identificado nenhum ponto de alagamento, já que foi construída uma grande galeria com capacidade para receber um volume quatro vezes maior do que o normalmente captado nas comunidades. Com medo de que o novo sistema de drenagem pudesse afetar os moradores das imediações, a nova galeria desemboca diretamente na principal rede de Copacabana, na Avenida Atlântica.

As escadarias e vielas que dão acesso a todas as partes dos morros também foram refeitas ganharam guarda-corpo. Com isso alguns moradores começam a fazer as melhorias que planejavam há anos, como a pintura das casas, melhoria nos acessos e uma maior preocupação em não deixar que as obras se percam com a falta de consciência de parte da população.