Vestido de branco familiares e amigos enterram jovem baleado na Lapa

Júlia Moura, JB Online

RIO - Cerca de 150 pessoas participaram do sepultamento do universitário Victor Emanuel Muanis, de 23 anos, na tarde desta quarta-feira no Cemitério Municipal do 1º Distrito de Petrópolis, na Região Serrano do Rio. Ele morreu nesta terça-feira no Hospital São Lucas, em Copacabana, onde estava internado desde a madrugada de sexta-feira quando foi atingido por uma bala perdida, na Rua Silvio Romero, quase esquina com a Rua do Riachuelo, na Lapa, no Centro do Rio.

Amigos, familiares e a namorada, Catarina Halabi, estavam vestidos com roupas brancas. Rosas brancas também foram distribuídas durante o sepultamento. O velório na Capela Mortuárias começou por volta das 14h. Uma bandeira do Fluminense e outra do Brasil foram colocadas em cima do caixão do jovem.

-Viemos de branco para lembrar as realizações boas de Vitinho e também como forma de protesto silencioso disse Carla Madureira, amiga do rapaz.

Victor, que era torcedor do Fluminense, foi homenageado em sites Torcida Flunitor, de Niterói. Tarja preta, simbolizando luto, e mensagens foram deixadas nos sites.

De acordo com a polícia, os donos do bar, onde Victor foi baleado em frente, serão ouvidos novamente para prestar novos esclarecimentos. Segundo o delegado Marcos Antônio da Silva, titular da 7ª DP (Santa Teresa), responsável pela investigação do caso, a polícia está averiguando se há registros de perturbação de sossego alheio e checando se houve algum entrevero com outras pessoas próximas ao local onde o jovem estava.

Na terça-feira, os agentes tiveram no local do crime para uma reconstituição do caso. Um amigo, que estava na hora em que Victor foi atingido, ajudou a policia. O delegado aguarda o laudo da perícia para saber de onde vieram os disparos .

O estudante de engenharia naval na UFR, que comemorava as boas notas do último período da faculdade, estava conversando e de repente caiu no chão. Ele estava perto de um carro. Os amigos acharam que ele estava passando mal e que havia desmaiado, só depois de alguns minutos é que perceberam que ele tinha sido atingido na cabeça por uma bala perdida. O carro também passará por perícia, segundo a polícia.

O irmão de Victor, José Muanis, esteve na tarde de ontem no Instituto Médico Legal (IML) para liberar o corpo. Ele contou que recebeu a informação de que moradores vinham reclamando do barulho no bar. A suspeita se deve ao fato de que não houve qualquer confusão no estabelecimento no momento em que Victor foi atingido nem há uma favela próxima.

Quem souber de alguma informação sobre o crime pode ligar para o telefone da delegacia para denúncias sobre o crime é 3399-5070.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais