Secretaria Estadual do Ambiente dá início a recuperação de Paraty

JB Online

RIO - O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão ligado à Secretaria Estadual do Ambiente (SEA), enviará nesta quarta-feira em caráter emergencial três escavadeiras para a Paraty, com o objetivo de retirar a grande quantidade de terra que deslizou das encostas para dentro do rio Perequê-Açu, que banha o Centro Histórico e o Canal Jabaquara. Essa e outras medidas foram tomadas na terça-feira, após visita do engenheiro Carlos Abenza, diretor do Inea. A cidade do sul fluminense foi fortemente afetada por uma tromba d água no último dia 10.

- A situação no município é extremamente grave. Com os deslizamentos, que foram inúmeros, uma grande quantidade de terra desceu para dentro dos rios. As escavadeiras vão operar retirando todo esse material da foz dos rios que, embora não tenham sido diretamente afetados pela tromba d'água, têm a margem direita densamente ocupada. No caso de mais chuvas, o risco para o Centro Histórico é enorme - alertou.

O diretor do Inea sobrevoou os doze bairros mais atingidos - Ponte Branca, Ponte Nova, Portão de Ferro, Portão Vermelho, Portal, Condado, Cupê, Jabaquara, Chácara da Saudade, Chácara, Caborê e Princesa Izabel e verificou ainda que serão necessárias outras medidas, a médio prazo, para evitar novas ocorrências em caso de chuvas fortes em Paraty.

Segundo o diretor, o canal Jabaquara, que deveria servir de extravasor do Pequerê-Açu para o mar, atualmente não cumpre essa função, o que provocou o alagamento do Centro Histórico. Serão feitos ainda intervenções ao londo dos rios, como a substitução de pontes que estão provocando o estrangulamento dos cursos d'água.