Serla atua em regime de plantão no Noroeste Fluminense

JB Online

RIO - O Presidente da Superintendência Estadual de Rios e Lagoas (Serla), Luiz Firmino Pereira, retorna nesta terça-feira pela manhã, à região do Noroeste Fluminense. Por determinação do governador Sérgio Cabral, ele acompanha de perto os problemas dos municípios afetados pelas cheias desde o fim de semana. Equipes da Agência Regional do órgão e o Diretor de Obras, Écio Ribeiro, permanecem em regime de plantão na região.

Firmino, que voltou ao Rio nesta segunda-feira para despachar na Superintendência, vistoria nesta terça os municípios de Itaperuna, Laje do Muriaé, Campos dos Goytacazes, e região do entorno, onde as enchentes provocaram grandes estragos.

Os bairros Vinhosa, Niterói, Cubatão, Cehab e o Centro de Itaperuna foram os mais atingidos pelas chuvas. O Rio Muriaé, que nasce em Minas Gerais e atravessa, ainda, os municípios fluminenses de Laje de Muriaé, Italva, Cardoso Moreira e Campos dos Goytacazes, teve seu volume d'água acrescido.

A situação em Santo Antônio de Pádua também se apresenta calamitosa. O transbordamento do Rio Pomba, cuja nascente está localizada em Minas Gerais, afetou 95% do município, enquanto seu afluente, o Rio Bonito, gerou perdas materiais para a população e o comércio, nos bairros Cidade Nova, Gerador e Carvalho.

O Córrego Lambari teve seu nível d'água elevado para 1,60 m, invadindo o Hotel das Águas, ponto turístico de referência da cidade, além de prédios comerciais e a Igreja da Matriz, inundada até o altar.